“Itabira tem potencial para ter um belo Museu de Artes Sacras”, diz Ângela Gutierrez Empresária, colecionadora e fundadora do Instituto Cultural

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 674 Visualizações

Na manhã desta terça-feira (30/11), Itabira recebeu a visita da empresária e colecionadora Ângela Gutierrez, atuante em projetos museológicos e programas culturais. Ela atendeu convite do prefeito Marco Antônio Lage para conhecer o acervo sacro da cidade, com peças tombadas pelo Patrimônio Histórico, e estudar os passos para a instalação de um Museu de Artes Sacras no município.

Participaram do encontro o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo, Breno Pires; e a secretária municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Natália Lacerda. A equipe passou pelos pontos históricos de Itabira e visitaram a Casa de Drummond, o Museu de Itabira, a Cúria Diocesana, a Igreja do Rosário e a Igreja Nossa Senhora da Saúde.

O prefeito Marco Antônio Lage contou que a ideia de instalar um museu sacro em Itabira partiu de conversas inciais com o padre Paulo Marcony Duarte Simões, pároco da Igreja da Saúde, após conhecer as peças que ficam no andar superior da igreja. Algumas peças estão fixadas em outras paróquias da cidade e em acervo particular.

Ângela Gutierrez avaliou que a cidade possui um acervo considerável de imagens, idumendárias e alfaias litúrgicas (objetos, enfeites utilizados em cerimônias religiosas), com potencial para a instalação de um museu sacro aberto a visitação e apreciação das obras.

Foto: reprodução

“É uma honra muito grande ter a Ângela Gutierrez com perspectivas de trabalhar conosco. A equipe dela é, sem dúvidas, que tem o melhor conhecimento técnico em termos de acervo de patrimônio histórico do Brasil. Precisamos estruturar o acervo existente para oferecer um equipamento novo e surpreendende para os itabiranos e turistas que irão visitar Itabira”, disse o prefeito Marco Antônio Lage.

A empresária e presidente do Instituto Flávio Gutierrez se disse encantada com a qualidade do acervo que encontrou em Itabira. “A cidade foi uma belíssima surpresa. Há muitos anos estive aqui e voltei hoje a convite do prefeito, sabendo da intenção de criar um Museu de Arte Sacra. Eu não imaginava a qualidade do acervo que poderíamos ter neste museu. Estou muito encantada de ver que aqui tem muita coisa. Eu enxerguei uma possibilidade de se criar um museu importante, grande e com peças de qualidade. Vocês têm uma cidade com potencial de atrativos turísticos enormes. Então, Itabira tem um potencial para ter um belo Museu de Arte Sacra”, comentou Ângela Gutierrez, com entusiasmo.

O padre Adriano Mendes de Pinho, representante da Diocese Itabira/Coronel Fabriciano, acompanhou a equipe e destacou que a população de Itabira tem uma importante participação na cultura religiosa. Segundo o padre, a instalação de um museu sacro com acesso para toda a população e turistas irá trazer desenvolvimento para a cidade.

Foto: reprodução

“A religiosidade tem marcas em Itabira. Fé e história sempre caminharam juntas em nossa cidade. A Diocese reconhece a importância de um museu sacro como uma vertente para o desenvolvimento econômico, social e cultural neste processo de resgnificação da cidade no pós-minério. A criação do museu vai valorizar a história, a devoção e a cultura do nosso povo, construída há quase 200 anos”, disse o padre.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *