Regional de Saúde de Itabira alinha campanha de vacinação contra covid-19 com gestores municipais

 253 Visualizações

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Itabira realizou na última quarta-feira (28/4), reunião para orientar gestores municipais de saúde sobre o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e reforçar a necessidade de cumprir a determinação exata das notas técnicas do Ministério da Saúde (MS). A reunião foi direcionada aos 24 municípios da região do Médio Piracicaba, pertencentes à GRS Itabira.

De acordo com Marcella Cristina Silva Braga, coordenadora de Imunização da GRS Itabira, a reunião teve como objetivo principal alinhar as condutas que têm sido adotadas pelos municípios segundo as orientações repassadas pelo MS.

“Repassamos para os gestores algumas informações técnicas da campanha, de forma mais clara, reforçamos também a importância de seguir as orientações do Ministério da Saúde, visando evitar mais transtornos no decorrer da vacinação. Enfatizamos a Nota Informativa 12ª versão, onde o governo responsabiliza o município pelos problemas gerados (como falta de vacina) caso não siga a ordem de prioridades da vacinação estabelecida nas notas técnicas emitidas”, destacou Marcella.

Diante do cenário desafiador da vacinação contra o novo coronavírus, Marcelo Barbosa Motta, que é coordenador de Vigilância Epidemiológica, disse ser possível que as equipes municipais envolvidas na operacionalização da campanha apresentem dificuldades de naturezas diferentes.

“Nosso objetivo é evitar que ocorram problemas técnicos, divergentes das orientações apresentadas nas notas informativas no Ministério da Saúde, os quais poderão acarretar enormes dificuldades em um futuro próximo, por exemplo, impossibilidade do município completar o esquema vacinal. Estamos trabalhando para que estes tipos de intercorrências não aconteçam em nossa região”, esclareceu Marcelo.

Durante a videoconferência, foi solicitado apoio aos gestores municipais de saúde, enquanto fiscais, coordenadores e apoiadores de toda a logística de vacinação contra a covid-19 no âmbito municipal, principalmente na ocorrência de erros nos municípios que têm gerado déficit de doses, principalmente de segunda dose (D2). Foi informado que o MS irá atender a essa demanda de complementação de doses desses esquemas na medida do possível e de produção de vacinas.

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.