TV, TV

Após fala racista de apresentador do SBT, repórter constrangido pede para sair do jornal

UOL

Após ficar constrangido por um comentário racista feita pelo apresentador Stanley Gusman durante o Alterosa Alerta, o repórter Rafael Martins anunciou nesta quarta (10/07) que pediu para deixar a equipe do informativo na afiliada mineira do SBT. Martins afirmou em nota que nunca se sentiu tão constrangido e desconfortável em 18 anos de carreira como jornalista.

Em seu Instagram, Martins, que também é deputado estadual em Minas Gerais pelo PSD (Partido Social Democrata), divulgou sua decisão de deixar o programa em solidariedade às pessoas que ficaram ofendidas.

“Afirmações racistas, ainda que em tom jocoso, devem ser repudiadas com veemência por todos aqueles que defendem uma sociedade inclusiva, na qual os direitos alcancem os cidadãos”, escreveu o jornalista. O repórter atuava no no Alterosa Alerta há quatro anos.

Na edição do Alterosa Alerta desta quarta, que foi ao ar às 12h30, o apresentador Stanley Gusman pediu desculpas ao público pela forma como a fala foi interpretada. Questionada pelo Notícias da TV se Gusman receberá alguma punição pela declaração inapropriada, a direção do Jornalismo da TV Alterosa não respondeu até a publicação deste texto.

Entenda o caso:

Ontem (09/07), durante a apresentação do telejornal, Stanley Gusman disse ao vivo que  o presidente do instituto Ibope Inteligência, Carlos Augusto Montenegro, só seria do bem se seu nome fosse “monte branco”. Momentos antes, o apresentador também chamou Montenegro de “demônio”. Depois de ouvir o comentário, Martins, claramente constrangido, deu um sorriso sem graça. “Nossa, mãe”, reagiu o repórter.

Ainda durante a transmissão, Gusman aparentou ter sido repreendido pelo ponto eletrônico e tentou justificar sua fala. “Não é de cor não, gente. É escuro, escuridão. Céu branco, inferno negro. Vocês também são muito, né?”, riu o jornalista, desconcertado.

O comentário racista repercutiu na internet e foi alvo de críticas. “Nunca vou entender como certos personagens têm espaço na TV brasileira”, comentou Débora Porela, no Instagram. “O repórter ficou até sem reação”, completou Vitor Zucolotti.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais afirmou que considera a fala de Stanley “grave e inaceitável” e lamentou que ainda exista racismo dentro dos meios de comunicação. “O SJPMG espera que o caso seja devidamente apurado e responsabilizado”, continuou o sindicato.

“Os jornalistas de Minas se unem à luta do povo negro do estado e do país contra o racismo e pela afirmação dos seus direitos”, finalizou o comunicado.

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend