Glaucius Detoffol Bragança – Candidatos à vista – Referência: Chico Buarque

 225 Visualizações

Já foi dada largada oficial para as eleições presidenciais em nosso país. São 14 candidatos. Na verdade são 13 candidatos – Manuela D’ávila já fez um “acordo” com o PT para retirar sua candidatura.

Hoje você é quem manda / Falou, tá falado / Não tem discussão, não / A minha gente hoje anda / Falando de lado / E olhando pro chão, viu.

Em ordem alfabética, esses são os nomes e seus respectivos perfis resumidos:

  • Álvaro Dias (Partido: Podemos – Antigo PTN): citado na Lava Jato como recebedor de propina.
  • Cabo Daciolo (Partido: Patriota): Deputado Federal pelo RJ, ficou conhecido como o Autor do Projeto de Lei que prevê isenção de pagamento de pedágios exclusivamente para militares, Policiais Civis, Agentes Penitenciários e Guardas Municipais.
  • Ciro Gomes (Partido: PDT): Candidato controverso e muitas vezes mais lembrado pelas suas polêmicas que por seu trabalho. Responsável pela quebra de acordo entre o Governo de São Paulo e o Governo do Ceará no projeto de expansão da mais promissora indústria automobilística nacional: Gurgel.
  • Geraldo Alckimin (Partido: PSDB): Escândalos. De merenda a Metrô, passando por crise no abastecimento de água, suporte a jornais (Folha, Estadão e Veja), dentre outras questões… Geraldo será o candidato com maior tempo de TV. Veremos bastante esse rosto.
  • Guilherme Boulos (Partido: PSOL): Não possui qualquer experiência política. Conhecido por ser coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). Filiou-se ao partido em março, exclusivamente, para disputar as eleições.
  • Henrique Meirelles (Partido: MDB): Ex- ministro da Fazenda de Dilma e Temer e Ex-Presidente do Banco Central do Governo Lula. Segundo o UOL, Meirelles teria recebido R$ 217 milhões em consultorias somente nos anos de 2015 e 2016.
  • Jair Bolsonaro (Partido: PSL): Deputado Federal sem expressão (mesmo após 7 mandatos consecutivos). Segundo pesquisas de intenção de voto, o Conservador é um dos nomes de destaque na disputa eleitoral.
  • João Amoedo (Partido: Novo): Não possui experiência política. Empresário Carioca. Foi vice-presidente do Unibanco e membro do Conselho de Administração do Itaú.
  • João Goulart Filho (Partido PPL): Filho do ex-presidente João Goulart. Professor na Universidade Católica de Brasília.
  • José Maria Eymael (Partido: DC): EY EY EYMAEL! UM DEMOCRATA CRISTÃO! O jingle vai tocar pela quinta vez. Já foi candidato a presidente em 98, 2006, 2010 e 2014.
  • Luiz Inácio Lula da Silva (Partido: PT): Ex-Presidente, Metalúrgico e Sindicalista. Condenado em 2ª Instância no caso do Triplex no Guarujá (mais de 12 anos de prisão). Só por este motivo já não poderia concorrer… mas a estratégia do Partido pensa o contrário. No entanto, reconhecendo sua inelegibilidade, já firmou alianças com o PCdoB.
  • Manuela D’ávila (Partido: PCdoB): Candidatura que já nasceu abandonada. Manuela fez um “ACORDO” com o PT. Caso Lula não possa concorrer à Presidência, a mesma será candidata pelo partido (juntamente com Fernando Haddad).
  • Marina Silva (Partido: Rede Sustentabilidade): Ex-Ministra do Meio Ambiente no governo Lula. Juntou-se ao vice Eduardo Jorge (também já tentou candidatura a presidência). Eduardo já trouxe boas ideias nas eleições passadas (reforma política e tributária), porém não teve força de atração de votos significativa para o pleito eleitoral.
  • Vera Lúcia (Partido PSTU): Expulsa do PT, foi uma das fundadoras do PSTU. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Sergipe. Segundo ela, a Venezuela “é um estado capitalista”. Prega a revolução operária e quer desapropriar 100 empresas multinacionais e bancos que atuam no país.

[pro_ad_display_adzone id=”44899″ align=”left”]Segundo pesquisa nomeada “Retratos da Sociedade Brasileira – Eleições 2018”: 70% da população acredita que as eleições podem mudar o país para melhor. No entanto, 45% dos entrevistados se apresentaram pessimistas ou muito pessimistas com as eleições de 2018.

Na mesma pesquisa, 69% acreditam que cada voto importa. Porém, apenas 48% demonstraram algum interesse nas eleições. Esses dados refletem nossa realidade atual: um povo que espera pela melhora geral, no entanto desacreditado no processo eleitoral.

Creio que tal cenário se dê pelos candidatos apresentados. Nomes inexpressivos OU rodeados de graves problemas. Nosso povo espera por um “herói”. Fomos moldados assim… Fomos obrigados a esquecer que a força está dentro de cada um de nós.

Agora eu era o rei / Era o bedel e era também juiz / E pela minha lei / A gente era obrigado a ser feliz.

O barco continua sendo um só. Cabe a nós escolhermos quem estará no controle do país pelos próximos 4 anos. Que tal debatermos ideias e não pessoas? Falamos de nossa nação. Chico Buarque, em Flor da Idade, já dizia que “a roupa suja da cuja se lava no meio da rua”. Façamos isso. O candidato que se aproximar mais de nossas preferências pessoais terá o nosso voto… Que tal?

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.