Em maio, produção industrial recua 10,9%, segundo o IBGE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 126 Visualizações

Em maio de 2018, a produção industrial nacional recuou 10,9% frente a abril, na série com ajuste sazonal, queda mais acentuada desde dezembro de 2008 (-11,2%), refletindo os efeitos da paralisação dos caminhoneiros que afetou o processo de produção de várias unidades produtivas no país. Com o resultado, o patamar de produção retornou a nível próximo ao de dezembro de 2003, ficando, dessa forma, 23,8% abaixo do ponto recorde alcançado em maio de 2011. Na série sem ajuste sazonal, em relação a maio de 2017, a indústria recuou 6,6%, recuo mais intenso desde outubro de 2016 (-7,3%), e interrompeu doze meses consecutivos de taxas positivas. 

Abril 2018 / Maio 2018
-10,9%
Maio 2018 / Maio 2017
-6,6%
Acumulado em 2018
2,0%
Acumulado em 12 meses
3,0%
Média Móvel Trimestral
-3,4%
O setor industrial acumulou expansão de 2,0% nos cinco primeiros meses de 2018, ritmo abaixo do resultado registrado até abril último (4,5%). O índice acumulado dos últimos doze meses, ao passar de 3,9% em abril para 3,0% em maio de 2018, assinalou redução na intensidade do crescimento e interrompeu a trajetória ascendente iniciada em junho de 2016 (-9,7%). 

Indicadores da Produção Industrial por Grandes Categorias Econômicas Brasil – Maio de 2018       
Grandes Categorias Econômicas 
Variação (%)      
Maio 2018/ Abril 2018* 
Maio 2018/ Maio 2017 
Acumulado Janeiro-Maio 
Acumulado nos Últimos 12 Meses   
Bens de Capital
-18,3
-6,6
9,5
8,8
Bens Intermediários
-5,2
-5,2
0,7
1,8
Bens de Consumo
-15,4
-9,7
3,0
3,9
  Duráveis
-27,4
-11,9
13,9
14,6
  Semiduráveis e não Duráveis
-12,2
-9,1
0,2
1,4
Indústria Geral 
-10,9
-6,6
2,0
3,0
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria    
*Série com ajuste sazonal           

Para mais informações sobre esse assunto acesse a página do IBGE na Internet – www.ibge.gov.br ou diretamente na Agência de Notícias IBGE –http://agenciadenoticias.ibge.gov.br/

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *