Mercado de trabalho – Desemprego cai para 12,7%, mas ainda atinge 13,2 milhões, diz IBGE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 104 Visualizações

O índice de desemprego no Brasil recuou para 12,7% no trimestre encerrado em maio. Isso significa que 13,2 milhões de pessoas estão desempregadas no país. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da pesquisa Pnad Contínua.

A taxa ficou abaixo da registrada no trimestre terminado em abril, quando o índice foi de 12,9%, e também na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior (13,3%). O número de desempregados também caiu em relação aos dois períodos – em abril eram 13,4 milhões, e no mesmo trimestre de 2017 eram 13,8 milhões.

Os dados do IBGE sugerem, entretanto, que o recuo do desemprego foi impactado pela menor procura por emprego, e não exatamente à melhora do mercado de trabalho. No trimestre encerrado em maio, o país somava 65,4 milhões de pessoas fora da força de trabalho, contra 65,2 milhões no trimestre até abril. Essa população cresceu 475 mil pessoas (0,7%) na comparação com o trimestre de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018. Frente ao mesmo trimestre do ano anterior, houve expansão de 1,6% (acréscimo de 1 milhão de pessoas).

No primeiro 1º trimestre, a subutilização da força de trabalho e o desalento no Brasil bateram recorde, segundo divulgado anteriormente pelo IBGE.

Ocupação

Segundo o IBGE, a população ocupada foi estimada em 90,9 milhões no trimestre até maio, apresentando estabilidade em relação ao trimestre terminado em fevereiro. Em relação ao mesmo trimestre do ano passado, houve alta de 1,3%.

O nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) foi estimado em 53,6% no trimestre até maio, uma redução de -0,2 ponto percentual frente ao trimestre terminado em fevereiro (53,9%). Em relação a igual trimestre de 2017, houve estabilidade.

A força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas) foi estimada em 104,1 milhões de pessoas, com estabilidade com o trimestre terminado em fevereiro e avanço de 0,6% em relação a 2017 (acréscimo de 663 mil pessoas).

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *