Ex-bandeirinha alvo de machismo lança livro infantil sobre futebol

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 110 Visualizações

Uai

Aproveitando o clima de Copa do Mundo, a ex-bandeirinha Fernanda Colombo decidiu dar sua contribuição para incentivar um ambiente com mais fairplay e menos exemplos negativos dentro e fora de campo. Ela acaba de lançar o livro.

Vamos jogar futebol, que explica as regras do esporte para crianças, com ilustrações de Fernanda Montoni e prefácio assinado pelo juiz Arnaldo Cezar Coelho, que não resistiu a mais essa oportunidade para usar o seu bordão. “A regra é clara quando nós, educadores, conseguimos, de forma didática e lúdica, passar esses ensinamentos aos pequenos”, escreve.

Fernanda teve a ideia de escrever o livro dentro de campo. Formada em educação física e ex-árbitra assistente de futebol, ela conta que via muitas crianças no estádio repetindo as atitudes dos pais, muitas vezes agressivas para com os jogadores e juízes. “Isso me despertou o interesse de mudar essa cultura, e o livro foi a forma que encontrei para fazer isso”, conta. Com instruções claras, o livro aborda os aspectos de cada regra de um jeito divertido, explica a função do árbitro, esclarece, por exemplo, o que é uma falta ou impedimento e ainda inclui informações sobre a disposição do campo e o material de que são feitas as bolas.

A autora diz que seu objetivo é fazer com que o Brasil tenha torcedores – e cidadãos – melhores. “É um trabalho de formiguinha. A cultura é muito forte, mas quero dar oportunidade para as crianças. A formação tem que começar na base, para se ter um adulto culturalmente mais evoluído”, diz ela. Fernanda observa que o livro de regras oficial do futebol é algo que nem os adultos costumam ler e diz acreditar que abordagens como a de seu livro possam “despertar o interesse por algo que não parece tão legal”.

Comentarista nascida em Criciúma (SC), Fernanda trabalhou como assistente de 2010 a 2016 nas federações catarinense e pernambucana e também na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ela diz “amar a arbitragem”, mas afirma não ter pretensão de voltar a campo. Sua prioridade agora é se especializar no jornalismo esportivo como comentarista de arbitragem.

Em 2014, a ex-bandeirinha se envolveu em uma polêmica após sua atuação no clássico mineiro entre Cruzeiro e Atlético. Na ocasião, o time celeste reclamou de um impedimento mal marcado de Alisson no fim do jogo. O então diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, criticou-a dizendo: “Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”. Fernanda diz que o episódio foi o mais marcante, negativamente, de sua carreira na arbitragem: “Ele não levou em conta a competência, mas apenas o fato de eu ser mulher. Foi uma declaração machista e chocante. Até então, não tinha me deparado com declarações pesadas como essa”.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *