Copa da Rússia – Dinamarca sai na frente, mas, com auxílio do VAR, Austrália empata

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 91 Visualizações

No primeiro jogo da Copa do Mundo da Rússia, desta quinta-feira (21), Dinamarca e Austrália empataram por 1 a 1, na partida válida pela segunda rodada do Grupo C, que foi disputada na cidade de Samara. Com este resultado, as duas seleções seguem com chance de se classificarem para as oitavas de final.

O caso mais complicado é da Austrália, que com esse empate marcou seu primeiro ponto na Copa e precisará derrotar o Peru na última rodada. Já a Dinamarca que havia vencido seu primeiro jogo, chegou aos quatro pontos, e independentemente do resultado entre Peru e França, que se enfrentam ao meio-dia (de Brasília), precisará de apenas um empate contra os franceses, na última rodada, para se classificar.

Após ter saído na frente com gol marcado por Eriksen, a Dinamarca, em especial o atacante Poulsen, viu o VAR complicar sua vida pela segunda vez no Mundial da Rússia. Depois de ter um pênalti assinalado contra o Peru com o auxílio das imagens da TV ao derrubar Cueva na área, desta vez o jogador colocou a mão na bola quando o jogo estava 1 a 0, gol de Eriksen.

O árbitro de campo deixou passar a infração, mas o de vídeo assinalou a penalidade. Jedinak cobrou e deixou tudo igual no marcador. Nos dois lances vistos pelo VAR, Poulsen recebeu cartão amarelo e por isso está suspenso do jogo contra a França, na próxima terça-feira, às 11h, em Moscou. A Austrália joga no mesmo dia e horário em Sochi, contra o Peru.

O gol australiano também colocou fim ao recorde do goleiro Kasper Schmeichel, alcançado no duelo anterior, na vitória por 1 a 0 sobre o Peru. No total, contando o duelo desta quinta-feira, ele ficou por 572 minutos sem sofrer gols pela seleção dinamarquesa e superou seu pai, Peter, que em 1995 passou 470 minutos sem ser vazado.

A Dinamarca, ao menos, aumentou sua invencibilidade para 17 partidas em jogos oficiais – são nove vitórias e oito empates. A última derrota foi para Montenegro, 1 a 0, em outubro de 2016.

O JOGO. A seleção dinamarquesa começou a partida pressionando a saída de bola do adversário e a estratégia funcionou. Logo aos sete minutos, Schöne roubou a bola e tocou para Jorgensen dentro da área. O centroavante dominou e tocou de lado para Eriksen, que veio de trás e encheu o pé para abrir o marcador.

A Austrália talvez seja nesta Copa do Mundo o time mais chato de se jogar contra. Nem mesmo atrás o placar, o time mudou sua postura. Seguiu com a marcação recuada, os 11 jogadores atrás da linha do meio de campo, não deixando a Dinamarca jogar. 

A seleção europeia seguia melhor na partida, mas com tremenda dificuldade em furar esse bloqueio. Os australianos se arriscavam muito pouco. E quando ia ao ataque faltava qualidade para finalizar a gol.

O empate australiano veio graças ao árbitro de vídeo. Após cobrança de escanteio, Leckie cabeceou e a bola tocou no braço de Poulsen. O árbitro no campo, O ESPANHOL Antonio Mateu, mandou seguir. Mas logo depois parou a partida para consultar o VAR, reavaliou o lance e anotou pênalti. Jedinak bateu e fez seu segundo gol na Copa – ele havia marcado também de pênalti contra a França.

No segundo tempo, a Dinamarca seguiu impondo o jogo e buscando o gol. A Austrália assustava nos contra-ataques, especialmente com os velozes Leckie e Kruse, que caíam pelas laterais do campo. No entanto, faltava alguém para finalizar.

Aos poucos, os dinamarqueses pareceram sentir o cansaço na partida. O meia Eriksen sumiu em campo e os australianos aos poucos passaram a controlar o duelo. Schmeichel saiu errado do gol e quase permitiu o gol da seleção da Oceania. Na sequência, Mooy arriscou chute de fora da área com perigo. Schmeichel, no entanto, salvou os dinamarqueses nos minutos finais ao fazer duas importantes defesas em chutes de Arzani e de Leckie.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *