Glaucius Detoffol Bragança – Você sabe quem te sacaneia? Referências: Barão Vermelho e Luther King

Frejat e a trupe do Barão Vermelho já cantava “Declare Guerra” em 1985 quando do 4º disco (homônimo) da banda. E nada mais atual após mais de 30 anos! 

“Vivendo em tempo fechado / correndo atrás de abrigo.”

Atualmente em todo país se questiona sobre o altíssimo valor dos combustíveis. Ocorre que muito se fala e pouco se faz e/ou pouco se questiona sobre a real motivação desta prática.

Existem protestos aos montes contra os postos de gasolina e seus proprietários. Essas manifestações viralizam na internet e causam comoção. Mas será que estamos mesmo alvejando o real culpado?

Em meados do ano passado (2017), o Governo alterou a forma de fixação do valor dos combustíveis de forma a favorecê-lo. Vide que somente no ano passado a flutuação do custo da gasolina ultrapassou 30%, segundo o site Valor Online.

Neste ano a situação não se alterou. Contando deste o ano passado, já ultrapassamos a 15ª semana seguida de aumento no custo direto dos combustíveis e como é sabido: aumento é repassado ao consumidor.

“Nem parece o mesmo / Tá ficando pirado / Onde você encosta da curto / Você passa, o mundo desaba.”

Mas não é só! Essa irresponsabilidade governamental tem um efeito cascata muito maior do que pensamos. A Refinaria Landulfo Alves (Bahia) – segunda maior do Brasil, situada no Recôncavo Baiano, corre risco de fechar as portas a qualquer momento em razão de drástica redução de capacidade produtiva. Se encerrar as atividades, a região sofrerá com o desemprego e suas mazelas que atingirão milhares de pessoas.

Cabe registrar ainda que outras Refinarias como REMAN, REDUC, REFAP e RPCC já operam abaixo de 75% da produção possível.

Aqui em MG: recentemente o Minas Petro – representante dos Postos de Combustíveis – deixou claro o que já consta nas Notas Fiscais: impostos relativos aos combustíveis representam 50% do custo total por litro.

Veja a composição média dos custos da gasolina nas bombas dos postos em Minas Gerais:

  • 30% – custo efetivo da gasolina
  • 12% – custo efetivo do álcool (Sim. Temos muito álcool misturado na nossa gasolina).
  • 50% – tributos
  • 8% – frete, margem de lucro das distribuidoras, custos gerais do posto (manutenção e geração de emprego) e o lucro do empresário.

Nosso Estado possui uma das maiores cargas tributárias sobre combustíveis de todo território nacional. A título de explicação: hoje o ICMS dos combustíveis em Minas Gerais corresponde a 45 centavos, em média, a mais que o ICMS do Estado de São Paulo.

E pra te arrasar / quem te governa não presta / Declare guerra aos que fingem te amar / a vida anda ruim na aldeia / Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia. 

Essa é a importância de se lembrar e saber em quem votar para Deputado Estadual e Governador. São eles os responsáveis por esta realidade absurda que vivemos.

Como declaramos guerra? Simples. Cobrando atuação efetiva das pessoas que receberam nossos votos. Nos fidelizando com quem realmente nos representa na da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e no Palácio da Liberdade. 

Declare guerra aos que fingem te amar / a vida anda ruim na aldeia / Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia.

PS: enquanto isso, a CBN noticiou que a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou 4.400 horas de deslocamento aéreo para políticos no ano de 2017. Esse tempo de voo é mais que suficiente para dar mais de 100 voltas ao globo terrestre.

Martin Luther King também falou: Aprendemos a voar como pássaros e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos.

Converse com o colunista: [email protected]

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.