APOLLO 13 – Vereadores, servidores e empresários são indiciados por suspeita de fraudes em Santa Bárbara

 141 Visualizações

A Polícia Civil concluiu nesta segunda-feira (6) três inquéritos e indiciou vereadores, servidores e empresários em Santa Bárbara, na Região Central de Minas Gerais, município a 75km de Itabira. As investigações tiveram origem na Operação Apollo 13, que prendeu em julho deste ano o presidente afastado da Câmara Municipal, Juarez Camilo Carlos (PSDB). A operação apura crimes de corrupção, falsificação de documentos e fraude em licitações.

O delegado responsável pelas investigações, Domiciano Monteiro, disse que o primeiro dos inquéritos apurou a suspeita de fraude em uma licitação para a contratação de serviços de informática de uma empresa que pertence à prima do vereador Ermelindo Francisco Ferreira (PSL).

Segundo Monteiro, foram indiciados, além do administrador da empresa, o ex-vereador José Ladislau Ramos (DEM), o vereador Ermelindo Ferreira, o ex-vereador Bruno Henrique Ferreira (DEM) e o ex-presidente da Câmara Frederico Magalhães Ferreira (PTC).

O segundo inquérito, conforme o delegado, investigou a suspeita de uso de documentos falsos e dispensa ilegal de licitação na contratação de serviços de obras superfaturadas realizadas na Câmara em neste ano. A investigação aponta que a contratação foi feita pelos vereadores Ermelindo Francisco Ferreira e Juarez Camilo Carlos (PSDB). Os dois parlamentares e um empresário foram indiciados, segundo Monteiro.

De acordo com o delegado, o último inquérito apurou a suspeita de desvio de dinheiro público por meio de uma empresa de cinema que funciona de forma gratuita no prédio da Câmara Municipal.

Segundo as investigações, entre 2014 e 2017, o Legislativo pagou mais de R$ 176 mil, divididos em 15 pagamentos à empresa, sem formalização de contratos. A polícia também apurou que a metade do valor era devolvido em dinheiro para o vereador Juarez Camilo Carlos. O parlamentar, o dono da empresa, Frederico Ferreira e dois assessores jurídicos foram indiciados, além dos servidores responsáveis pelo setor de licitação.

G1 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.