Repasse do Ministério da Saúde de R$ 10 milhões à Santa Casa pode demorar mais 18 meses

O repasse de R$ 10 milhões do governo federal à Santa Casa de Belo Horizonte, que vai possibilitar a aquisição de equipamentos para substituir os danificados durante o incêndio que atingiu o 10º andar do hospital, em 27 de junho, ainda não foi feito. A previsão é que o recurso seja pago “em até 18 meses”. 

Apesar de ser destinado à reconstrução do local onde funcionava o CTI, o valor poderá ser usado somente para a aquisição e substituição de equipamentos, e não para obras estruturais. Em junho, a Santa Casa informou que o repasse não será suficiente para cobrir todas as despesas previstas no projeto de segurança. 

De acordo com o diretor-jurídico da Santa Casa de BH, João Costa Aguiar Filho, para a reconstrução dos leitos perdidos e dos equipamentos serão usados cerca de R$ 5,5 milhões. Além disso, será necessário investir ainda R$ 2,8 milhões para o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e treinamento de brigadistas; R$ 1,5 milhão para adequações no telhado, como para-raio; e R$ 2 milhões para adquirir novo gerador de energia. 

Além de todos os investimentos, para que a verba do Ministério da Saúde seja liberada, é preciso que a instituição faça o detalhamento e cadastro das propostas que estão condicionadas a itens que constam no Sistema de Gerenciamento de Equipamentos Médicos, do Ministério da Saúde. 

“Somente após análise e aprovação, que também estão condicionados à apresentação do processo licitatório, é feito o empenho e a programação para liberação do recurso. Devido à complexidade exigida, a previsão é que o recurso chegue em até 18 meses à instituição”, explicou o grupo. 

Abertura de leitos 

Apesar do longo processo que a instituição deve passar para que o 10º andar seja reativado, 30 leitos já foram abertos para receber os pacientes que necessitam de tratamento intensivo. 

Nesta quinta-feira (28), mais dez quartos foram atividados. As vagas vão ficar na ala C, do mesmo andar atingido pelo fogo, mas que não sofreu tantas avarias. 

Incêndio

O incêndio começou em um quarto do hospital, onde funciona o Centro de Terapia Intensiva (CTI), por volta das 20h de segunda-feira, 27 de junho. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a princípio, o fogo foi causado por um vazamento de oxigênio atrelado à pane de um equipamento. Houve uma pequena explosão, segundo relato de uma funcionária, e, em seguida, as chamas começaram a se alastrar. 

Houve pânico e correria no hospital. Devido à formulação do local, a fumaça se alastrou rapidamente e tomou um corredor da unidade. Janelas do prédio chegaram a ser quebradas por pessoas que estavam no local durante um momento de desespero. Pacientes foram levados para a rua em macas e cadeiras de rodas. 

Dois pacientes que estavam internados no CTI da Santa Casa morreram após a transferência realizada durante o incêndio. No entanto, a Polícia Civil informou que, na noite do acidente, três corpos foram encaminhados da instituição ao Instituto Médico-Legal de BH. Outros 26 funcionários foram hospitalizados devido a inalação de fumaça.

* POR HOJE EM DIA 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.