Projeto ‘Se essa rua fosse minha’ no Gabiroba resgata protagonismo do bairro nas ações de esporte e lazer

 362 Visualizações

A segunda edição do projeto foi planejada e executada em parceria com os moradores.

O final de semana foi de muito esporte e lazer no bairro Gabiroba. No domingo (15/05), os moradores da comunidade aproveitaram toda a programação da segunda edição do “Se essa rua fosse minha”. Com a  proposta de oferecer recreação à população da cidade, o projeto também oportunizou vivências lúdicas e a prática esportiva.

Em especial, essa edição deu início a parceria da Prefeitura de Itabira, por meio da  Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude(SMELJ), e as lideranças do bairro, com o objetivo de resgatar o protagonismo da comunidade e assim realizar um evento de acordo com as demandas do local. De acordo com a secretária da pasta, Natália Lacerda, a participação dos moradores no planejamento da programação foi fundamental para que eles possam assumir junto com a secretaria a responsabilidade de promover mais ações como essa.  

“Aqui no Gabiroba, a edição teve um impacto especial porque agora nós começamos a fazer todas as reuniões com as associações de bairro e líderes comunitários para contarmos com a participação massiva da comunidade durante a programação. É muito importante dar o protagonismo a essas pessoas aqui, que estão nos ajudando a ocupar esses espaços públicos que são nossos”, destacou Natália Lacerda.

O evento, que aconteceu em frente ao Ginásio Poliesportivo do bairro, contou com a apresentação da Guarda de Marujos de Nossa Senhora da Saúde, roda de capoeira, pintura em tecido, campeonato de truco, equipe de Enfermagem e Fisioterapia da UniFuncesi, entre outras atividades propostas pelos moradores. Para o presidente da associação do Gabiroba Direita,  Antônio dos Santos Sobrinho, a presença do poder público no bairro mostra que o local não está desamparado.

“Gostaria de agradecer  por terem pensado no bairro para a realização do projeto. Há muito tempo não recebemos atividades como essa, principalmente depois da pandemia. Estamos satisfeitos com esse movimento junto aos moradores do bairro. Vamos continuar fazendo mais e mais”, reforçou o presidente da associação.

Kelly da Silva Costa, moradora do bairro Gabiroba, participou da edição com a filha Ester. Segundo ela, atividades como essa dão acesso a um novo olhar sobre o bairro e propicia que a filha desenvolva várias habilidades. “Além de ser educativo, o projeto é muito legal também por oferecer um momento gostoso em família durante o domingo”, disse Kelly.

O “Se essa rua fosse minha” tem como  intenção realizar o programa em espaços públicos, com acesso livre da população, como praças, ruas, campos de futebol, parques, escolas, dentre outros. Sempre de forma gratuita para todo público, o programa irá capacitar e treinar a comunidade para desenvolver as atividades juntamente com a SMELJ. As ações são planejadas, com organização em três vertentes: treinamento de lideranças, empréstimo de material e fechamento de rua aos domingos.

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.