Prefeitura e DER firmam convênio para projeto de duplicação das MGs 434 e 129

 293 Visualizações

Prefeitura e DER firmam convênio para projeto executivo de duplicação das MGs 434 e 129. Estimativa é de que o projeto seja licitado e elaborado ao longo do próximo ano e que obras estejam aptas a terem início no primeiro trimestre de 2023.

Foto: Divulgação/PMI

O convênio foi assinado na sede do órgão estadual, em Belo Horizonte, pelo prefeito Marco Antônio Lage e também pelo diretor-geral do departamento, Robson Santana. Ainda acompanharam o ato o deputado estadual Bernardo Mucida, o secretário municipal de Obras, José Maciel Paiva, e o assessor de Gestão, Programas e Metas, Gabriel Quintão. Pelo acordo, o DER ficará responsável por licitar a empresa e fazer o acompanhamento técnico do projeto executivo. Já a Prefeitura fará o pagamento, com teto de R$ 2,7 milhões.

Segundo o secretário Maciel Paiva, o convênio é uma alternativa interessante porque aproveita a expertise do DER em contratações desse tipo de empresa. “Importante é o seguinte: o trecho da rodovia que liga o trevo da BR-381 até o trevo da ETE Laboreaux, pertence, grande parte, ao DER. Então, se o município fosse fazer o projeto executivo, teria que passar pela fiscalização do órgão. Achamos por bem, após a reunião que tivemos com o governador (Romeu Zema), desenvolver o projeto em parceria, com a Prefeitura aportando os recursos necessários. O projeto executivo já inclui a parte ambiental e a parte fundiária, e já estará dentro dos padrões do próprio DER. Este é o primeiro passo para o início da obra. Porque se você não tem o projeto, você não consegue nem mesmo buscar os recursos para a execução”, comenta o secretário.

Foto: Divulgação/ PMI

“Ao término do projeto, já poderemos fazer a contratação da obra, licenciamentos e aquisições de terrenos necessários… enfim, tudo que é preciso para executar uma grande obra desse tipo”, completou o secretário José Maciel.

Foto: Divulgação/PMI

Durante a reunião para a assinatura do convênio, o prefeito Marco Antônio Lage e o deputado Bernardo Mucida explicaram ao diretor-geral do DER a importância da duplicação para o presente e o futuro de Itabira no pós-mineração. O chefe do Executivo Municipal pediu a Robson Santana que o órgão estadual leve em consideração esse cenário da cidade no sentido de acelerar os trâmites naquilo que for possível.

Foto: Divulgação/PMI

“Tenho dito sempre, inclusive ao governador Romeu Zema, o quanto essa duplicação é vital para Itabira. Uma obra que aproxima a cidade sobremaneira da capital e do aeroporto de Confins. Isso é fundamental para as pretensões de diversificação econômica da cidade. Ao lado da questão da água, que já está sendo desenvolvida com o projeto do Rio Tanque, essa expansão da malha rodoviária é outro gargalo importante que precisamos superar. Esperamos que tudo ocorra dentro dos prazos e que, no início de 2023, no máximo, já possamos estar com tudo pronto para licitar a obra”, declarou Marco Antônio Lage.

Já o deputado Bernardo Mucida afirmou que o convênio é um ”primeiro passo de uma grande luta”. “Quem passa com frequência na BR-381 e acessa Itabira sabe da urgência dessas obras. Além de elevar o nível de segurança, esse projeto oferece à Itabira a possibilidade de diversificar sua economia”, disse.

Fonte: ACOM-PMI

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.