Veículo de notícia de Mianmar diz que seu jornalista foi preso por incitação

 354 Visualizações

Um jornalista que noticiou protestos contra o golpe deste ano em Mianmar foi preso por três anos por incitação, informou sua organização de notícias, um dos primeiros veredictos de culpa da junta militar governante contra profissionais de mídia.

Min Nyo, repórter da Voz Democrática de Burma (DVB) da região de Bago, foi preso em 3 de março, um mês depois de os militares tomarem o poder. Ele foi espancado pela polícia e ficou gravemente ferido, disse o DVB, acrescentando que sua família não teve direito de visitá-lo.

“O DVB exige que a autoridade militar liberte Min Nyo imediatamente, assim como outros jornalistas detidos ou condenados em Mianmar”.

Um porta-voz da junta não respondeu a pedidos da Reuters pedindo comentário.

Muitos jornalistas estão entre as quase 4.900 pessoas que foram presas pelo conselho militar de Mianmar, de acordo com a Associação de Assistência a Prisioneiros Políticos (AAPP).

Mianmar está mergulhada em tumultos sangrentos desde que o golpe de 1º de fevereiro pôs fim a décadas de passos relutantes rumo à democracia, e os militares, que governaram o país entre 1962 e 2011, têm dificuldade de impor a ordem.

O DVB é um de vários veículos de notícia cujas licenças foram revogadas pela junta, que restringe o acesso à internet e suprime greves e protestos contrários em todo o país.

Três dos jornalistas do DVB foram detidos no norte da Tailândia nesta semana por entrarem ilegalmente depois de fugirem de Mianmar. Grupos de direitos humanos apelaram à Tailândia para não deportá-los.

Emerlynne Gil, vice-diretora regional da Anistia Internacional, disse que, na prática, o jornalismo foi criminalizado pelos generais de Mianmar.

Fonte: MSN

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.