Nivaldo Ferreira dos Santos – Oportunidade de mudar (de preferência para melhor…)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 1,122 Visualizações

Nos últimos meses publicamos aqui uma série de textos sobre os diversos tipos de oportunidades de trabalho em diferentes áreas que atualmente existem em Itabira e sobre a necessidade de tentarmos viabilizar o “desenvolvimento com sustentabilidade” em nosso município. Ficou claro que há muitas oportunidades, principalmente para quem está bem preparado para aproveitá-las na hora certa.

Hoje damos continuidade à discussão sobre a realidade e o futuro de Itabira trazendo uma reflexão sobre as decisões que cada cidadão de Itabira terá que tomar até o dia 15 de novembro, daqui a menos de um mês, quando vamos escolher quem serão os ocupantes dos cargos eletivos do Poder Executivo e do Poder Legislativo do nosso município.

Para iniciar, quero falar de uma coisa muito importante: as pessoas que forem eleitas este anos serão responsáveis por conduzir Itabira nos próximos quatro anos, período em que certamente serão realizadas discussões extremamente decisivas, complexas e importantes para o futuro de todos nós, tanto na área econômica devido à urgência de buscar a diversificação das atividades produtivas do nosso município quanto na área social, uma vez que precisamos de muitos investimentos e ações nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, tecnologia, saneamento básico e preservação e recuperação ambiental para garantir, de verdade, a sobrevivência e a qualidade de vida da atual e das futuras gerações de cidadãos itabiranos.

Dito isso, proponho o resgate de uma discussão realizada em 2004 pela Interassociação dos Amigos dos Bairros de Itabira, através de uma campanha de conscientização sobre “como escolher o melhor candidato” para o cargo de vereador, observando que esta mesma discussão precisa ser feita em relação aos cargos de prefeito e vice-prefeito. Para isso, foi proposto naquela ocasião um “perfil ideal do candidato” tendo em vista “as funções e a importância dos vereadores”.

Naquela época, liderados pela Senhora Maria da Piedade Barbosa Silva Pires, a Interassociação divulgou um texto onde foi escrito assim: “faz-se necessário levar os cidadãos à reflexão para que sejam eleitos candidatos que tenham um perfil adequado ao exercício da função de vereador, considerando principalmente a capacidade e o interesse de cada candidato em relação ao cumprimento de suas obrigações no cargo que se propõe a ocupar” e “esse ‘perfil ideal’ do futuro vereador certamente pode ser complementado com outras características a serem discutidas com a comunidade”.

No texto do projeto a entidade completa ainda que “dificilmente encontraremos um só candidato com todas as características propostas nesse ‘perfil ideal’, mas acreditamos que a comunidade só tem a ganhar se todos os eleitores se preocuparem em identificar os candidatos que mais se aproximam desse perfil” e que a intenção dessa discussão era “tentar garantir um futuro com mais qualidade de vida para toda a população itabirana”. Em seguida foi apresentado o que seria o “perfil ideal de candidato a vereador”, que transcrevo a seguir para reflexão dos que se interessarem pelo tema:

“* Ser uma pessoa bem informada sobre os acontecimentos e as mudanças que estão se processando na nossa comunidade, no estado, no país e no mundo;

* Ter poder de mobilização para incentivar as lideranças comunitárias e a população em geral a participarem de atividades desenvolvidas pela Câmara Municipal, como reuniões, audiências públicas e discussões sobre projetos de interesse da população;

* Ter poder de negociação para viabilizar a execução de projetos de interesse da comunidade por parte do Poder Executivo Municipal e também para obter recursos dos governos estadual e federal, organismos internacionais, empresas e outras instituições;

* Ter envolvimento com atividades e projetos de interesse do município, atuando efetivamente em trabalhos de interesse coletivo;

* Ter facilidade de expressão oral e escrita para propor e discutir projetos e leis que sejam facilmente compreendidos pelos cidadãos e pelos outros vereadores;

* Conhecer os problemas e potenciais da cidade para propor projetos que sejam coerentes com a realidade local, tanto para solucionar problemas sofridos pela comunidade quando para viabilizar o aproveitamento adequado das oportunidades de desenvolvimento;

* Ter noção das funções do Poder Legislativo através do conhecimento dos direitos e deveres inerentes à função do vereador e das principais leis nacionais, estaduais e municipais ou, pelo menos, demonstrar um real interesse em aprender sobre isso;

* Ser uma pessoa idônea, responsável e ética, o que é essencial para viabilizar ações que possam dar maior transparência aos atos da Câmara e da Prefeitura;

* Ser uma pessoa organizada e interessada em cumprir seus compromissos com a devida pontualidade e assiduidade, agendando e cumprindo as obrigações assumidas.”

Apresentado o perfil de candidato proposto pela Interassociação em 2004, reforço a observação feita pela diretoria da entidade naquela época: esse conjunto de características certamente pode ser complementado e aperfeiçoado pelos leitores (e eleitores), agregando ainda outras características a serem avaliadas pelos cidadãos e grupos da comunidade interessados em avaliar efetivamente os candidatos antes de fazer sua escolha definitiva no dia 15 de novembro de 2020.

Para completar lembro ainda do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, que discute a conscientização política, com foco na prevenção e punição à chamada “compra de votos”, tendo como lema a seguinte frase: “Voto não tem preço, tem consequência.”… Assim, encerro o texto dessa coluna desejando que todos avaliem bastante os candidatos e votem realmente com consciência, respeitando também a opinião dos demais eleitores. E que Itabira e os demais municípios de todo o Brasil elejam bons vereadores e boas vereadoras, bem como prefeitos e vice-prefeitos capazes de entender e atender os anseios da nossa população e ajudar cada município a se desenvolver cada vez mais e com a necessária justiça social, proporcionando a todos nós uma melhor qualidade de vida, com o tão sonhado equilíbrio e a tão sonhada sustentabilidade, tanto nos aspectos econômicos quanto nas questões sociais e na área ambiental. Até a próxima!

Leia também

Comentários 2

  1. Ana Luiza Ferreira dos Santos says:

    Muito bom 👏👏👏😍

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *