BARÃO DE COCAIS – Vale garante que megamuro já é capaz de reter a lama se a barragem romper

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil está alertando para o risco de temporais até amanhã (25/01), com possibilidade do volume de água acumulada atingir 250mm, em grande parte da região central de Minas Gerais, incluindo Barão de Cocais. Apesar desse cenário preocupante, a Vale está garantindo que o megamuro que está sendo construído para reter a lama da barragem Sul Superior, da mina de Gongo Soco, em caso de rompimento, já tem condições de evitar que a região central da cidade seja tomada pela lama e também partes de municípios vizinhos, como Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo.

Foto: reprodução/Diário de Itabira

O megamuro tem 36m de altura, 330m de extensão e está localizado 6km à jusante (abaixo) da barragem. Procurada pelo Diário de Itabira, a Vale informou que a estrutura de concreto atingiu sua altura máxima em dezembro. “A estrutura, construída em caráter emergencial, tem capacidade para reter todo o rejeito da barragem, na eventualidade de um rompimento. As obras estão em fase final, restando concluir o sistema de drenagem e finalizar a construção do extravasor”, garantiu a mineradora, a- través de sua assessoria de comunicação.

Segundo a mineradora, após o megamuro ser concluído, será iniciada a fase de descaracterização da Sul Superior. “Após o término desse processo, a estrutura deixará de ser uma barragem e a contenção de concreto será removida, com a área totalmente recuperada e revegetada”, acrescentou.

A Vale também informou que, principalmente neste período de fortes chuvas, a barragem e a cava da mina de Gongo Soco continuam sendo monitoradas 24h por dia, de forma remota, com o uso de radar e estação robótica, além de sobrevoos com drone. “Esses equipamentos são capazes de detectar movimentações milimétricas da estrutura. O videomonitoramento é feito em tempo real pela sala de controle em Gongo Soco e no Centro de Monitoramento Geotécnico da Vale”, cita a nota.

Quanto ao alerta dos órgãos responsáveis sobre mais chuvas na região, a Mineradora disse que interrompeu de forma preventiva e temporária as obras que estão ocorrendo nas zonas de auto salvamento.

Disse ainda que mantém uma equipe multidisciplinar de prontidão, 24 horas por dia, para apoiar quaisquer eventualidades.

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.