Cultura, Gente, Música

Morre Paulo Antônio Pagni, baterista do RPM, aos 61 anos

P.A estava internado em um hospital no interior de São Paulo há mais de 20 dias devido à uma fibrose pulmonar

RollingStone/UOL

Paulo Antônio Figueiredo Pagni, baterista da banda Revoluções por Minuto (RPM), morreu neste sábado (22/06), após passar mais de 20 dias em estado grave na UTI em um hospital de Salto, no interior do estado de São Paulo. A informação foi publicada oficialmente no Facebook da banda. Mais informações serão divulgadas em breve. 

No início do mês, Fernando Deluqui, guitarrista da banda, anunciou que P.A havia morrido devido à uma fibrose pulmonar, no entanto, no mesmo dia, a assessoria do RPM desmentiu o ocorrido. Segundo eles, o estado de saúde do artista era considerado “muitíssimo grave”. O músico havia recebido a notícia pelos responsáveis pelo caso no hospital e revelou que “estava a maior confusão”.

P.A morreu aos 61 anos, e participou do sucesso da RPM entre os anos de 1984 a 1987. A banda de rock brasileira conseguiu bater todos os recordes de vendas da industria fonográfica do país. O grupo, antes formado por Paulo RicardoFernando Deluqui (voz e guitarra), Luiz Schiavon (teclados) e Paulo Pagni (bateria), anunciou no início de janeiro o retorno da banda, agora com Dioy Pallone no baixo. 

Com agenda de shows aberta, o RPM, em nova fase, divulgou duas faixas, “Ah! Onde Está Você” e “Escravo da Estrada“. No entanto, a banda ainda contempla os fãs com um repetório cheio de hits como “Olhar 43“, “Rádio Pirata“, “London, London“, “Loiras Geladas“, “Alvorada Voraz” e “Cruz e Espada“. 

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend