CONTAGEM – Sobe para 47 o número de casos suspeitos de febre maculosa

A cidade de Contagem registrou nas últimas 24 horas mais três casos suspeitos de febre maculosa. Com isso, o número de notificações da doença transmitida pelo carrapato-estrela saltou para 47, segundo informou nesta quarta-feira (12/06) a Secretaria Municipal da cidade. Até o momento, conforme a prefeitura, foram confirmados cinco casos da doença, sendo que deste total, quatro morreram. Todas as vítimas são moradores de uma área da região Nacional. 

Levantamento da Secretaria de Saúde e da Defesa Civil de Contagem aponta que 128 pessoas participaram de um mutirão de capina no bairro Vila Boa Vista, na região, e podem ter sido picadas e infectadas pelo carrapato-estrela. Ele fica hospedado em animais de grande porte, como cavalos e capivaras. 

Outras pessoas que entraram na mata e ainda não apresentaram os sintomas da febre maculosa estão sendo acompanhadas. A área onde ocorreu o surto de febre maculosa é ocupada por apenas uma família. São 35 casas e aproximadamente 150 moradores. 

Ações

Técnicos do Ministério da Saúde estão no município, desde sexta-feira (7), fazendo um levantamento da doença. Para eliminar o carrapato-estrela, os cavalos da cidade estão recebendo banhos de carrapaticidas. Em nota, a prefeitura alertou para que a população não hostilizem os carroceiros e nem maltratem os animais. “Os cavalos são importantes para que não haja infestação de carrapatos. O banho de carrapaticida elimina os parasitas”.

Conforme o executivo, o carrapato-estrela adquire a bactéria apenas de capivaras. “Cavalos, cães, gatos e aves são hospedeiros do parasita e não amplificadores da doença”, explicou.

Outra aão desenvolvida pela prefeitura na tentativa de exterminar o aracnídeo é a aplicação de cal no terreno onde ocorreu o surto. O pó branco aumenta a acidez do solo e mata os carrapatos.

Letalidade

A febre maculosa mata quatro a cada dez infectados. A enfermidade é mais comum entre junho e novembro, conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES). Nesses meses, a população de carrapato-estrela, transmissores da bactéria, aumenta devido ao ciclo de vida da espécie. A doença provoca febre alta, manchas na pele e dores no corpo.

Orientações

Pessoas que moram perto de áreas com possibilidade de existência do carrapato-estrela devem examinar o corpo a cada três horas, usar roupas claras e compridas, colocar barras da calça para dentro da meia e usar sapatos fechados. Outras orientações, são: 

– Se encontrar um carrapato no corpo, o recomendável é utilizar uma pinça e retirar o parasita pelo bico.  Apertar o animal com os dedos pode fazer com que o sangue caia na corrente sanguínea do ser humano;

– Outro alerta da prefeitura é de que as pessoas não matem as capivaras. O carrapato-estrela é hospedeiro de animais que estão com sangue quente. Quando um animal morre, o carrapato procura outro ser vivo para se alimentar e o perigo pode se espalhar ainda mais;

– O abandono de animais em outras regiões também pode fazer com que a doença se espalhe. A responsabilidade pela higienização é dos donos.

Tratamento precoce é essencial

Ao primeiro sinal da doença, a orientação é procurar atendimento médico imediatamente, já que o tratamento precoce é essencial para evitar formas mais graves da febre maculosa e até mesmo a morte, segundo o Ministério da Saúde. Veja abaixo alguns sintomas:

– Febre acima de 39ºC e calafrios, de início súbito;
– Dor de cabeça intensa;
– Náuseas e vômitos;
– Diarreia e dor abdominal;
– Dor muscular constante;
– Inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés;
– Gangrena nos dedos e orelhas;
– Paralisia dos membro

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.