CRISE – Guaidó diz ter apoio de ‘principais unidades militares’ da Venezuela e chama povo à rua

Juan Guaidó cumprimenta um militar perto de uma base aérea em Caracas — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

O autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, afirmou na manhã desta terça-feira (30/04) que se encontra com as principais unidades militares das Forças Armadas e que deu início à fase final do que ele chama de “Operação Liberdade”.

O vice-presidente de comunicações, Jorge Rodríguez, confirma que o governo enfrentou defecção de militares, mas ele afirma que é um grupo reduzido, que se posicionou para “promover um golpe de estado”.

Juan Guaidó

@jguaido

Pueblo de Venezuela inició el fin de la usurpación. En este momento me encuentro con las principales unidades militares de nuestra Fuerza Armada dando inicio a la fase final de la Operación Libertad.

 
Guaidó convocou os venezuelanos para ir às ruas, afirmou que as Forças Armadas continuarão a implementação até que se consolide “o fim da usurpação, que já é irreversível”.[pro_ad_display_adzone id=”44899″ align=”right”]

O oposicionista ainda elogiou as forças armadas, ao dizer que elas “tomaram a decisão correta”, e repetiu o pedido para que o povo saía às ruas para “dar respaldo às forças democráticas e recuperar a nossa liberdade”.

Em um vídeo postado na rede social, Guaidó aparece ao lado de Leopoldo Lopez, um outro opositor ao regime de Maduro que cumpre prisão domiciliar.

No dia 19 de março, o líder da oposição e da Assembleia Nacional havia convocado uma marcha para o dia 1º de maio para pressionar pela saída de Nicolás Maduro, o líder da Venezuela.

Um dirigente de Maduro, Jorge Rodríguez, vice-presidente de comunicações, confirma que o governo enfrentou defecção de militares.

Jorge Rodríguez

@jorgerpsuv

Informamos al pueblo de Venezuela que en estos momentos estamos enfrentando y desactivando a un reducido grupo de efectivos militares traidores que se posicionaron en el Distribuidor Altamira para promover un Golpe de Estado contra la Constitución y la paz de la República… 1/2

Veja a seguir os principais fatos que contribuíram para que a situação na Venezuela chegasse ao nível atual.
  • Em 2002, Hugo Chávez sofre tentativa de golpe e endurece discurso contra oposição
  • Chávez amplia o número de juízes da Corte Suprema e assume controle do Judiciário
  • Manifestações ganham as ruase são duramente reprimidas; líderes de oposição são presos
  • Sem referendo prévio, Maduro convoca uma Assembleia Constituinte que assume o Poder Legislativo
  • Eleições são adiadas e antecipadas repetidamente e oposicionistas são proibidos de disputar pleitos
  • Maduro é reeleito em uma votação acusada de fraude e com resultado não reconhecido por parte da comunidade internacional
  • Presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó se declara presidente interino e é reconhecido por diversos países
  • Países atendem pedido de Guaidó para distribuir ajuda humanitária, mas Maduro proíbe entrada de doações no país e fecha fronteiras com Brasil e Colômbia

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.