Esportes, Futebol

Finais da década são marcadas por erros de arbitragem; veja ranking de favorecidos e prejudicados

Portal Hoje em Dia

“Agora estou totalmente convicto. Aconteceu a penalidade sobre o Igor Rabello no clássico. Não me foi passada pela equipe de árbitro de vídeo nenhuma dúvida relacionada a impedimento no lance. Assim, tenho a certeza de que aconteceu o erro”, garante Giuliano Bozzano, presidente da comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol (FMF).

Para Bozzano, o lance envolvendo Rabello e Dedé na área cruzeirense é muito mais para o árbitro de vídeo que para o de campo. Além disso, ele revela que poderia ter havido uma comunicação mais eficiente, mesmo com o final do primeiro tempo.

“Pelo protocolo do VAR, mesmo tendo encerrado o primeiro tempo, se o árbitro não saiu do gramado ele pode ser acionado pela turma do vídeo, e isso deveria ter acontecido, com o alerta do pênalti, que poderia ser marcado e haver a cobrança”, explica o dirigente da FMF.

Além do pênalti cometido pelo zagueiro cruzeirense Dedé, a partida de ida da decisão mineira teve um erro importante na marcação do escanteio que resultou no segundo gol do Cruzeiro, num lance em que a bola tocou por último em Marquinhos Gabriel.

Assim, a decisão de 2019 não foge à regra das finais desta década. E já tem como uma marca os erros de arbitragem, que só não aconteceram de forma grave nas últimas nove edições do Estadual em 2011 e 2016, nas conquistas de Cruzeiro e América, respectivamente.

Desde 2012, quando Atlético, que foi campeão, e América decidiram a competição, as reclamações contra a arbitragem quase sempre integram a história das finais do Campeonato Mineiro.

Neste período, os erros mais decisivos envolveram o centroavante Jô, na época jogador do Atlético.

O primeiro deles, curiosamente, também teve o zagueiro Dedé como personagem, na decisão de 2014, pois ele cometeu um pênalti não marcado pelo gaúcho Leandro Vuaden.

De prejudicado, Jô passou a beneficiado no ano seguinte, numa decisão contra a Caldense, no Estádio Dilzon Melo, em Varginha, quando ele marcou o gol do título atleticano.

Ranking

Num ranking de prejuízo ou ajuda, o Cruzeiro passa a ser o clube mais beneficiado, com quatro lances. Esta posição era do Atlético, com três. Por outro lado, o Galo é o mais prejudicado, agora com seis erros contra.

Além de lamentar as falhas no primeiro jogo, Bozzano espera definir o mais rápido possível a arbitragem da partida de volta da decisão, no próximo sábado (20/04), às 16h30, no Independência. O sorteio deve acontecer nesta terça-feira (16/04), na sede da FMF, mas com árbitros indicados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Arte
ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend