Nivaldo Ferreira

Nivaldo Ferreira dos Santos – Notícias das Associações

No dia 2 de dezembro de 2018 foi realizada a reunião mensal da Interassociação dos Amigos dos Bairros de Itabira com representantes de Associações de Moradores, conselhos municipais e outras entidades da comunidade – o principal destaque foi a discussão sobre a organização das associações e da própria Interassociação, cujo estatuto estava em processo de reformulação para correções e ajustes que se fazem necessários, processo esse que foi concluído em 20 de dezembro. 

Entre os pontos do estatuto em discussão, os artigos relativos à eleição e ao funcionamento do Conselho Fiscal da Interassociação levaram os presentes à decisão de adiar a eleição de novos membros do Conselho Fiscal, que estava marcada para ocorrer nessa reunião – a eleição será realizada na primeira reunião ordinária de 2019.

Destaque também para a participação de Geraldo Ramos Madeira, responsável pela área de Educação Ambiental da Itaurb – Empresa de Desenvolvimento de Itabira. Ele apresentou aos presentes as principais informações sobre a campanha educativa com o tema “É hora de mudar o jeito de tratar seu lixo!”, trabalho que está sendo realizado de porta a porta para esclarecer os cidadãos sobre a forma correta de acondicionar os vários tipos de resíduo coletados pela Itaurb, além de informar os dias e horários das coletas em cada parte da cidade.

Outro destaque foi a participação do engenheiro Dartison da Piedade Fonseca, que fez questão de comparecer à reunião para fazer um agradecimento especial à comunidade rural do Ribeirão São José de Cima, onde foi realizado um trabalho em parceria com a Interassociação, o Rotary Club, a cooperativa de crédito SICOOB e a Cenibra, viabilizando a estrutura necessária para o abastecimento de água potável para 35 (trinta e cinco) famílias. Ele informou ainda que estão sendo organizadas outras iniciativas semelhantes, para as quais espera poder contar novamente com as organizações que fizeram parte dessa parceria e até mesmo ampliar as parcerias. Que assim seja!

SAÚDE – REGIÃO SUDESTE

Recebi recentemente uma mensagem da nossa amiga e leitora Elizabeth Mendes, integrante da Associação Mineira de Saúde Popular – Amisp, na qual ela comenta sobre o I Encontro Sudeste de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde – ESPICS, realizado em Belo Horizonte/MG, na Universidade Federal de Minas Gerais, de 3 a 5 de dezembro.

Com o tema “Integrando Experiências de Pesquisa, Ensino e Gestão em PICS no Sudeste do Brasil”, o evento contou com minicursos, oficinas, mesas redondas, atividades culturais, apresentações de trabalhos de pesquisas, grupos de trabalhos, rodas de conversas, atividades práticas e atendimentos nas diversas modalidades de terapias e práticas envolvidas no contexto do evento.

Entre as atividades do Encontro, ela destacou em sua mensagem algumas discussões da Mesa Redonda sobre “Gestão da Práticas Integrativas e Complementares em Saúde nos municípios e estados”, realizada na manhã do dia 5 de dezembro:

* O Dr. Emílio Telesi, da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo(SP) comentou sobre a implantação das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) no Sistema Único de Saúde (SUS) na capital paulista, deste 2001 – com a experiência nestes 17 anos, ele afirmou que os grupos de práticas corporais são as terapias que mais se destacam como promotoras de saúde e superam em muito as abordagens individuais para resolução das demandas dos pacientes, além de criar um elo e vínculo entre os participantes, os terapeutas e os demais trabalhadores que atuam nesse serviço público;

* A Dra. Henriqueta Sacramento, referência técnica das PICS na Secretaria Municipal de Saúde de Vitória(ES), contou sobre a experiência do município e falou sobre a importância de articular a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde com as outras políticas, como a promoção de saúde, para potencializar os resultados;

* A Dra. Gelza Matos, referência técnica da Política Estadual de PICS na Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, salientou a importância dos profissionais lançarem os procedimentos de PICS no sistema público de saúde, uma vez que a subnotificação inviabiliza a construção de indicadores, a avaliação e o planejamento adequado na área de saúde;

* O Dr. Raphael Dias, da Secretaria Municipal de Saúde de Maricá(RJ), enfatizou a importância dos Núcleos de Atendimento em Saúde da Família para a integração das PICS com as equipes do Programa “Saúde da Família”, ampliando o olhar da equipe e potencializando o projeto terapêutico, com resultados pesquisados e comprovados naquele município para o controle da glicemia e pressão arterial – ele também destacou a importância da parceria do serviço com as ações de extensão das universidades, abrindo o campo para os alunos realizarem pesquisas e treinamentos, afirmando que “essa é uma contrapartida que deu certo no SUS de Maricá”;

* O Dr. Emílio Telesi fez um alerta para o risco da terceirização do SUS, afirmando que em São Paulo cerca de 70% da atenção básica de saúde já está sob a responsabilidade de Organizações Sociais, impactando inclusive na redução dos concursos para o SUS – ele destacou também a necessidade de avançar na inserção das PICS na rede.

Nossa amiga Elizabeth Mendes, que também é terapeuta, lembrou ainda que em Itabira já há algumas dessas Práticas Integrativas e Complementares em Saúde disponíveis no sistema público de saúde, com destaque para a acupuntura, que consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo para tratar doenças e para promover a saúde.

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend