Colunistas, Nivaldo Ferreira

NIVALDO FERREIRA – O Dia do Rio

Nivaldo Ferreira dos Santos é Mestre em Administração Pública, Professor, Líder Comunitário e Servidor Público

No dia 24 de novembro é comemorado o “Dia do Rio”. É mais uma data para lembrar a importância e a necessidade de preservar e proteger nossos recursos naturais, em especial a água, que é o bem mais precioso para manter a maioria das espécies de vida existentes em nosso planeta. Vale lembrar que o ser humano ainda não conseguiu identificar nenhum outro planeta que tenha as mesmas condições de sobrevivência que a Terra, mesmo com todos os recursos científicos e tecnológicos já produzidos pela humanidade.

Juntamente com os rios, para garantir a sobrevivência dos mais variados ecossistemas existentes em nosso planeta, precisamos proteger e preservar também as nascentes e a vegetação existente nas áreas de nascentes, nas margens dos rios e nas chamadas “áreas de recarga”, em especial as matas existentes nos topos de morros. É importante lembrar que as matas ciliares e a vegetação das áreas de recarga das nascentes ajudam também a evitar os processos de erosão do solo e até mesmo deslizamentos de terra, que são comuns nessa época de muitas chuvas, principalmente quando ocorrem ocupações desordenadas com construções em áreas de encostas, por exemplo. Ou seja: precisamos respeitar os limites da própria natureza quando ocupamos os diversos territórios com atividades caracteristicamente humanas.

Outro papel importante dos rios, das matas ciliares e das áreas de recarga das nascentes é a preservação da flora e da fauna originárias de cada bioma, ecossistema ou habitat do nosso planeta, o que é essencial para evitar a extinção de espécies animais e vegetais que têm, cada uma, o seu importante papel no equilíbrio ambiental, que deveria ser do interesse de cada um de nós, habitantes dessa nossa “Casa Comum”, conforme denominação utilizada nos últimos anos nas Campanhas da Fraternidade promovida por igrejas cristãs.

É importante lembrar ainda que a preservação dos recursos naturais, em especial os rios e as matas, é uma obrigação legar de todos nós, prevista em várias normas vigentes, com destaque para o Código Florestal Brasileiro, que determina a área de proteção a ser observada ao redor de nascentes, rios, lagos e outros cursos d’água.

Infelizmente, temos visto muitas situações em que não tem sido respeitada e/ou observada essa necessidade de preservação dos recursos hídricos e das formas de vida existentes em seu entorno e em seu interior. Exemplos de ações inadequadas não nos faltam, como o lançamento de todo tipo de lixos ou resíduos nos nossos rios, sejam eles esgotos residenciais, esgotos industriais, resíduos de atividades poluidoras, como a mineração, e até mesmo a ocorrência de tragédias ou desastres provocados pela ação do ser humano, individualmente, ou das populações formadas pelas sociedades humanas. E as consequências dessas ações inadequadas são terríveis – para ficar somente num exemplo, lembremos o desastre ocorrido há pouco mais de três anos na barragem de rejeito da mineração no município de Mariana(MG).

POTENCIAIS

Voltemos à questão da importância dos rios em nossas vidas, citando algumas formas de potencial utilização deles:

* Transporte – praticamente todos os rios de médio e grande porte podem ser utilizados, pelo menos em partes dos seus percursos naturais, para a navegação e o transporte de produtos, mercadorias e pessoas;

* Produção de energia – uma das fontes de energia mais utilizadas no Brasil é a energia hidrelétrica, ou seja: represas e quedas d’água têm a força das águas transformada em energia elétrica, que posteriormente é distribuída para residências, comércios, indústrias, escolas e todo tipo de empreendimento;

* Alimentação – além da pesca, que permite recolher em seu interior uma importante fonte de proteína para nossa sobrevivência, os rios fornecem a água utilizada na agricultura e na pecuária, tanto para a grande produção do agronegócio quanto para os pequenos produtores, os agricultores familiares e os produtores de alimentos orgânicos;

* Manutenção da biodiversidade – a grande variedade de espécies da fauna e da flora aquática ajuda a garantir a manutenção dos diversos biomas e ecossistemas que conhecemos, inclusive nos mares e oceanos, que dependem do que é gerado nos rios, lagos e demais corpos d’água existentes nos continentes.

COMEMORAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Para marcar a passagem do “Dia do Rio”, a equipe do Projeto Pascrilu, mantido pelo Clube de Mães do Bairro Santa Ruth, realizou no dia 23 de novembro algumas atividades de Educação Ambiental com as crianças que participam do projeto – as atividades incluíram: oficinas de desenho e colorido com figuras e paisagens relacionadas aos temas “Rios”, “Nascentes”, “Agua” e “Natureza”; brincadeiras, cantigas de roda e músicas que lembram os rios, os peixinhos, plantas e outros animais presentes nos rios e mares.

Mais uma vez, deixamos aqui também a nossa lembrança pela passagem do “Dia do Rio” e nossa homenagem à equipe do Projeto Pascrilu e a todos que atuam para a preservação dos nossos recursos naturais, principalmente nossos recursos hídricos, que a cada dia se tornam mais escassos.

Até a próxima!

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend