VAZAMENTOS – Inspeção interna do tubos do mineroduto Minas-Rio é finalizada; relatório é divulgado em três meses

Vazamentos nos tubos do mineroduto aconteceu em março deste ano. A inspeção foi iniciada no dia 23 de maio – Foto: Gilvan de Assis/Defesa Civil

A Anglo American concluiu nesta quarta-feira (22) a passagem dos equipamentos de inspeção interna nos 529 quilômetros do mineroduto, que liga a mina de Conceição do Mato Dentro, cidade a 175km de Itabira, na região Central de Minas, ao Porto do Açu, em São João da Barra, no Estado do Rio de Janeiro. A análise teve início no último dia 23 de maio. Agora, os dados gerados serão analisados por uma empresa independente e os relatórios conclusivos deverão ser entregues em outubro.

De acordo com a Anglo American, as análises vão ser utilizadas como referência para eventuais medidas a serem tomadas pela empresa e também serão enviadas para os órgãos públicos competentes com o objetivo de embasar a autorização para a volta das atividades da companhia, prevista para o último trimestre deste ano.

Ainda de acordo com a empresa, os equipamentos utilizados para a inspeção são chamados PIGs (sigla em inglês para Ferramenta de Investigação de Dutos). Eles possuem sensores capazes de indicar, com precisão, indícios de deformações, corrosões ou trincas na tubulação.

Segundo a Anglo o mineroduto Minas-Rio continua sendo um projeto competitivo, com um produto de qualidade e alta demanda no mercado internacional de minério de ferro.

A tragédia

Nos dias 12 e 29 de março deste ano, foram registrados vazamentos na tubulação do mineroduto Minas-Rio resultando no derramamento de cerce de 947 toneladas de minério de ferro em cursos d’água, em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata Mineira. Desde então, as operações do mineroduto estão paralisadas.

Manutenção

No último dia 16 de agosto, a mineradora Anglo American recebeu autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a manutenção preventiva com troca de tubos no trecho de aproximadamente quatro quilômetros do mineroduto Minas-Rio, onde ocorreram os incidentes, em Santo Antônio do Grama. 

O trecho concentra tubos do mesmo lote daqueles que vazaram em março deste ano. As obras terão início imediato e devem durar até três meses.

Em nota, a mineradora reiterou o compromisso com a segurança e o comprometimento com a realização de inspeções minuciosas antes de retomar as atividades.

Veja o vídeo:

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.