‘Forte impacto’ – Paralisação de caminhoneiros prejudica entregas dos Correios em Minas Gerais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 100 Visualizações

A greve de dois dias dos caminhoneiros no Brasil afeta os serviços dos Correios. Em nota, a empresa ressaltou que houve um ”forte impacto” na distribuição, inclusive nos serviços SEDEX e PAC. 

No texto, os Correios também ressaltam que as correspondências devem sofrer atraso até quando perdurar a paralisação. A companhia também afirmou que encomendas com dia e hora marcadas estão temporariamente suspensas. 

Para reduzir os prejuízos, os Correios garantiram que vão reforçar os processos operacionais assim que as rodovias voltarem à normalidade. A mobilização começou nessa segunda-feira e, desde então, fecha várias rodovias espalhadas pelo Brasil. Em Minas Gerais, as BRs 381, 262, 251 e 040 já sofreram interdições. 
 
A principal reivindicação dos motoristas é a diminuição do preço do diesel. Na tarde de ontem (22), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), anunciou, pelo Twitter, que o governo vai zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel. 
 
A alíquota foi instituída pela Lei 10.336/2001 com a finalidade de assegurar um montante mínimo de recursos para investimento em infraestrutura de transporte, entre outros objetivos. O corte da Cide visa à redução do preço dos combustíveis no País. 

“Eu e o presidente do Senado combinamos com o Governo Federal: os recursos da reoneração serão todos utilizados para reduzir o impacto do aumento do diesel. E também acertamos com o ministro da Fazenda que a CIDE será zerada com o mesmo objetivo: reduzir o preço dos combustíveis”.

Maia também anunciou um acordo para destinar 100% dos recursos do projeto de Reoneração da folha de pagamento, para reduzir o impacto do aumento do diesel. A Reonaração diz respeito à maneira como o governo federal tributa empresas de 56 setores beneficiados. 
 
Tanto o corte da Cide quanto à destinação das quantias da Reoneração foram garantidas também pelo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, na noite de hoje. 
 
Confira abaixo a nota dos Correios na íntegra:
“Toda a logística brasileira está sendo prejudicada pela paralisação nacional dos caminhoneiros iniciada nesta segunda-feira (21). E os Correios também estão sendo seriamente atingidos. A paralisação tem gerado forte impacto às operações da empresa em todo o país. Diante desse cenário, os Correios informam que estão temporariamente suspensas as postagens das encomendas com dia e hora marcados (SEDEX 10, 12 e HOJE). Tendo em vista comprometer a distribuição, também haverá o acréscimo de dias no prazo de entrega dos serviços SEDEX e PAC, bem como das correspondências enquanto perdurarem os efeitos desta greve.
 
A empresa entrega, mensalmente, cerca de meio bilhão de objetos postais, dentre eles, 25 milhões de encomendas. São mais de 25 mil veículos, 1.500 linhas terrestres e 11 linhas aéreas que circulam pelo país de norte a sul. Os Correios estão acompanhando os índices operacionais de qualidade de toda essa cadeia logística e, tão logo a situação do tráfego nas rodovias retorne à normalidade, a empresa reforçará os processos operacionais para minimizar os impactos à população.”

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *