Dilma tratou de propina pessoalmente, diz Joesley

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 63 Visualizações

Reportagem de VEJA desta semana detalha as novas revelações feitas pelo delator Joesley Batista, acionista da JBS. Em depoimentos prestados à Polícia Federal para explicar capítulos de seu acordo de colaboração, o empresário conta que a ex-presidente Dilma Rousseff dispensou intermediários ao tratar de propinas. Algo que nem o seu antecessor Lula, preso por corrupção e lavagem de dinheiro, fez.

Joesley revelou aos investigadores que Dilma lhe pediu, dentro do Palácio do Planalto, uma doação ao ex-ministro do Desenvolvimento Fernando Pimentel durante a campanha do petista ao governo de Minas Gerais em 2014.

Como a iniciativa partiu da então presidente, o empresário explicou que a ajuda financeira seria descontada de uma conta de propina abastecida com de 150 milhões de dólares, que era mantida no exterior e seria destinada a Dilma e Lula.

Após a contribuição para Pimentel, o saldo ficaria zerado, alertou Joesley. Dilma deu o o.k. A JBS liberou, então, 30 milhões de reais.(MSN)

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *