Vereadores adiam votação de projeto que cria 50 cargos na Secretaria de Saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 87 Visualizações

Os vereadores pretendiam votar na tarde desta terça-feira (15) o Projeto de Lei 31/2018, que altera um dos anexos da Lei 4.061/2007, de autoria do prefeito Ronaldo Lage Magalhães (PTB), que pretende aumentar de 407 para 457 o número de assistentes técnicos administrativos, que compõem a grade de funcionários da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

No entanto, após um pedido feito pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Paulo Henrique Rodrigues da Silva, o vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB) pediu vista à matéria e impediu a apreciação dos seus colegas.

Em oficio encaminhado aos vereadores, Paulo Henrique explica que o CMS não foi consultado sobre a intenção do prefeito em criar estes cargos e por isso, solicitou o adiamento da votação.

“Esse pedido tem como base o fato de que o CMS não foi consultado ou sequer convidado para discutir o Projeto acima citado. E, por impactar diretamente o orçamento global para as ações em saúde no nosso município, justifica-se uma análise mais criteriosa”, diz o documento.

Em entrevista à imprensa, Paulo Henrique explica que o CMS tem a prerrogativa de fazer um acompanhamento efetivo do projeto e que por este motivo solicitou a retirada da pauta.

“Precisamos de um estudo mais profundo, passar para o Conselho quais serão os gastos disso tudo, por que nós temos distritos sem ambulância, farmácias sem remédios, então, nós temos o básico para ser feito e não está sendo feito”, criticou o conselheiro. 

Impacto financeiro – A alteração na lei gera um aumento nos gastos públicos. Segundo documento anexo ao projeto, o salário destes funcionários é de R$ 1.124,34, somado aos gastos com férias e 13º salário, mais vale transporte e encargos sociais, a média de gasto para o segundo semestre de 2018 seria de R$ 481.425,80. Nos 12 meses de 2019, os novos 50 cargos gera um gasto previsto de R$ 962.851,60.

 

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *