CMI – Oposição trava pauta e apenas um projeto é votado em primeiro turno

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 96 Visualizações

Cinco projetos foram apreciados em primeiro turno pelos vereadores de Itabira na tarde desta terça-feira (8) durante a reunião ordinária. No entanto, apenas um foi liberado para votação e recebeu o apoio unanime dos vereadores. Se trata do projeto 37/2017 que institui no município o Plano Diretor de Mobilidade Urbana (PlanMob).

Os outros quatro projetos sofreram pedidos de vista e só retornam na próxima reunião. O projeto aprovado foi encaminhado à Câmara Municipal pelo prefeito Ronaldo Magalhães (PTB), mas na verdade foi desenvolvido pelo seu antecessor, Damon Lázaro de Sena (PV, tendo como base os estudos desenvolvidos pela empresa Tectran, que fez uma avaliação do trânsito no município, bem como os impactos do crescimento da cidade.

Com pedido de vista feito pelo vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB), o projeto de lei 30/2018, que pede autorização à Câmara Municipal para realização de um empréstimo na ordem de R$ 300 mil com o Banco do Brasil, foi impedido de ser votado. Segundo o vereador, “mais analises precisam ser feitas no texto”, como forma de garantir mais segurança na aprovação. O pedido de empréstimo é para aquisição de um caminhão-pipa, que será utilizado na manutenção das estradas rurais.

Outros dois projetos sofreram pedidos de vista feito pelo vereador Agnaldo Vieira “Enfermeiro” (PRTB). Foram eles, o 32/2018 e 36/2018, que “altera a lei municipal n. 4910/2016 que dispões sobre a política e o sistema de segurança alimentar e nutricional sustentável no âmbito do município de Itabira e dá outras providências” e o “Altera a lei municipal n. 4.822, de 23 de julho de 2015, que institui o conselho municipal de segurança alimentar e nutricional sustentável de Itabira”, respectivamente.

O vereador Reginaldo da Mercês Santos (PTB) também pediu vista ao projeto 22/2018. A matéria pede autorização para abertura de credito dentro do orçamento do município, no valor de R$ 4 milhões, para construção de casas populares pelo programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

Todos os quatro projetos serão analisados pelos vereadores e devem retornar para a reunião da próxima terça-feira (15).

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *