Um terço dos convocados para a UFMG renuncia à vaga na maior federal de Minas

 149 Visualizações

Três em cada dez aprovados na UFMG abriram mão de ocupar uma vaga na instituição em 2018. Os estudantes convocados na primeira edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) não se matricularam, deixando a oportunidade para outros candidatos. Dentre os cursos com maior número de desistências estão alguns dos mais concorridos na universidade, como direito, enfermagem, odontologia e medicina.

Campeã nacional de inscrições no Sisu – assim como no ano passado –, a UFMG já convocou 1.839 pessoas que estavam na lista de espera. Ao todo, 6.339 vagas foram ofertadas. Com 155.386 estudantes concorrendo às oportunidades pelo Sisu, a instituição registrou uma média de 24,5 candidatos por vaga. 

Juntos, os cursos de direito diurno e noturno tiveram 139 desistências nas 400 vagas oferecidas. O curso lidera o ranking de ausências. Ao todo, 15.734 pessoas pleitearam a formação na federal mineira.

Só até hoje

Além disso, outros 681 estudantes aprovados para o segundo semestre deste ano foram convocados para antecipar a matrícula. Os selecionados, tanto na lista de espera quanto na chamada para o atual semestre, têm até hoje para manifestar interesse por meio do site ufmg.br/sisu. 

Segundo o pró-reitor de graduação da UFMG, Ricardo Takahashi, o número de desistências aumentou desde que a universidade começou a adotar o Sisu. “Com o sistema, passamos a ser demandados por gente de qualquer parte do Brasil, até por nosso bom conceito nacional, mas isso não quer dizer que o aluno conseguirá vir para cá estudar”, disse.

Apesar de aumentarem as vagas excedentes, o pró-reitor não acredita que isso torne a entrada na UFMG mais fácil, já que a concorrência também cresceu, assim como a nota mínima de cada curso.  “Certamente, seria melhor vir quem passou primeiro, pelo mérito. Mas existem questões materiais, por exemplo, que impedem que o aluno mude de cidade”.

Para ele, garantir mais bolsas estudantis seria uma boa medida para reduzir o número de desistentes, mas explica que a atual situação financeira da instituição e do país impedem tal alternativa.

Takahashi fez questão de lembrar que as vagas não ficarão ociosas. Conforme o docente, até duas chamadas extras poderão ser feitas, por semana, para que todos os lugares sejam preenchidos. A convocação pode acontecer até o décimo dia letivo. As aulas estão previstas para começar em 1º de março.

Matrícula

A matrícula presencial dos novos convocados ocorrerá na própria universidade nos dias 23, 26 e 27. Na documentação devem constar original e cópia legível do comprovante de registro acadêmico feito pela internet, certificado de conclusão e histórico escolar do ensino médio, além de documento de identidade, CPF e foto 3×4 recente. 

A lista ainda incluiu comprovante de quitação de obrigações eleitorais e do serviço militar (para homens) e declaração preenchida e assinada de que não ocupa vaga em curso de graduação em outra instituição pública de ensino superior do país. Esta última está disponível na página da UFMG.

Com Mariana Durães

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.