Governo confirma seis mortes por febre amarela em Minas

 123 Visualizações

O governo de Minas confirmou nesta quinta-feira (10) seis mortes por febre amarela no estado. O balanço leva em conta óbitos registrados pela doença desde julho de 2017 até agora.

Em relação ao último boletim, divulgado na semana passada, foram confirmadas mais cinco mortes:

  • Duas em Nova Lima, na Região Metropolitana;
  • Uma em Mar de Espanha, na Zona Mata;
  • Uma em Barra Longa, na Região Central;
  • Uma em Carmo da Mata, no Centro-Oeste;

No total, sete casos de febre amarela foram registrados em Minas, neste segundo período de monitoramento. Um paciente que havia contraído a doença em Brumadinho, na Região Metropolitana, se curou, segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A primeira morte confirmada em Minas também aconteceu em Brumadinho.

Outros dez casos ainda são investigados, segundo a SES.

Óbitos de julho de 2016 a junho de 2017

O primeiro período de monitoramento da febre amarela foi entre julho de 2016 a junho de 2017, quando ocorreu o surto da doença no estado. Neste período, segundo o governo, foram 162 mortes – 26 em 2016 e 136 em 2017. Ainda de acordo com a secretaria, 475 casos foram confirmados nesta época.

Febre amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos infestados. Em área rural ou de floresta, os macacos são os principais hospedeiros e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos transmissores infectados Haemagogus e Sabethes. Já em ambiente urbano, a partir do Aedes aegypti, de acordo com o Ministério da Saúde. Não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

VACINAÇÃO IDOSOS

Os idosos precisam passar por uma triagem antes de tomar a vacinação contra a febre amarela. A Secretaria Estadual da Saúde diz que as pessoas com mais de 60 anos precisam passar pelo médico antes da imunização contra o vírus. No entanto, a pasta do município ressalta que apenas alguns pacientes necessitam de avaliação médica.

AS DÚVIDAS MAIS COMUNS SOBRE A VACINAÇÃO

PRESSÃO ALTA

A pressão alta não é contraindicação da vacina contra a febre amarela, por ser comum nesta faixa etária.

CÂNCER

Quem faz tratamento com quimioterapia ou radioterapia não deve se imunizar.

EPILEPSIA

Se o sistema imunológico estiver em condições, não há contraindicações.

ALERGIA

Se tiver alergia grave a algum componente da vacina ou a ingestão do ovo não deve se vacinar. Nesse caso deve usar repelente e roupas com mangas compridas se estiver na área de risco.

GRAVIDEZ

Quem tomou a vacina e engravidou em menos de 30 dias deve fazer avaliação médica durante pré-Natal.

BEBÊS E MÃES

Vacina recomendada a partir de 9 meses. Já as mulheres que estão amamentando bebês acima de 6 meses de idade podem tomar a vacina. Se o bebê tiver menos de 6 meses e a mãe que amamenta se vacinar deve interromper a amamentação por 10 dias.

GRIPE

O paciente pode tomar a vacina gripado, a não ser que o paciente esteja usando altas doses de corticoide. Se for o caso, deve esperar algum tempo.

DEFICIÊNCIA RENAL

Quem deficiência renal deve passar por avaliação clínica antes de tomar a vacina.

O mosquito Haemagogus leucocelaneaus, exclusivo de matas e ambientes silvestres, é vetor de febre amarela silvestre (Foto: Josué Damacena/IOC/Fiocruz )

O mosquito Haemagogus leucocelaneaus, exclusivo de matas e ambientes silvestres, é vetor de febre amarela silvestre (Foto: Josué Damacena/IOC/Fiocruz )

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.