QUEDA DO LÍDER – Sada Cruzeiro alterna altos e baixos e cai pela primeira vez na Superliga

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 73 Visualizações

No segundo jogo de uma sequência de oito confrontos fora de casa, o Sada Cruzeiro teve pela frente seu maior adversário na busca pelo sexto título da Superliga masculina. Jogando fora de casa, em confronto antecipado da 11ª rodada, a equipe azul enfrentou o EMS Funvic Taubaté-SP na noite desta quarta-feira para tentar aumentar sua diferença na ponta da tabela.

Alternando altos e baixos, o Cruzeiro não fez por onde para seguir invicto em derrota por 3 a 2 (21/25, 26/24, 28/26, 24/26 e 15/6), em confronto que teve o ponta Lucarelli como destaque. A derrota não tirou a liderança dos celestes, que somou um ponto e agora possui três pontos a mais que o Sesi-SP.
“Já fazia um tempo que a gente queria vencer o time deles. É sempre uma pressão jogar contra este time, que também vem de uma sequência complicada”, comentou Lucarelli. Nos sets que perdeu, antes do tie-break, o Sada foi irregular e, mesmo assim, fez o adversário suar a camisa para conseguir levar as parciais, deixando claro que uma atuação um pouco mais regular poderia evitar o revés.

Sem sentir a pressão que vinha das arquibancadas do Abaeté, o Sada Cruzeiro começou agressivo, tendo na relação saque-bloqueio o principal triunfo para sair na frente. Depois de um começo equilibrado, com troca de pontos, foi antes da metade da parcial que os cruzeirenses descolaram do placar. O oposto Wallace foi anulado diversas vezes graças ao bom posicionamento da defesa azul. A eficiência do saque também fez a diferença para os visitantes, que conseguiram quebrar a recepção paulista. A diferença de 17 a 11 foi um banho de água fria nos ânimos do Taubaté, que saiu atrás no marcador logo depois.

No segundo set, o Sada começou a ter dificuldades nos side-outs e também na recepção. Os saques flutuantes do Taubaté perseguiam Filipe, que não conseguia estabilizar o passe. Para compensar, o bloqueio celeste continuava ativo e operante. O equilíbrio e poucos pontos de diferença apareceram até o final da parcial, que foi além dos 25 pontos. Na oportunidade que teve para matar, Leal foi bloqueado duas vezes seguidas, com este mesmo fundamento decretando o empate.

Com a presença de Rodriguinho, que havia substituído Filipe na reta final do set anterior, o Sada Cruzeiro começou a busca por estar de novo em vantagem. Mas a queda de rendimento no ataque pesou para que os visitantes não conseguissem ficar na frente. Do outro lado, o Taubaté conseguia sair da marcação azul e, ainda, teve seu bloqueio com uma outra postura para pressionar o atual campeão de tudo.

Na marra, o Cruzeiro buscou o empate, mas logo permitiu que os paulistas abrissem vantagem de quatro pontos no 19 a 15. Buscando algo de diferente, o técnico Marcelo Mendez mudou seus levantadores, colocando Cachopa em ação. A tentativa deu certo com o empate sendo buscado e trocas de pontos começando a partir dos 19 a 19. Errando mais do que o costume, o Cruzeiro permitiu a virada do Taubaté na partida.

Precisando ser mais agressivo para forçar o tie-break, o Sada Cruzeiro melhorou seu desempenho ofensivo no quarto set. Aproveitando melhor os contra-ataques, o time azul contou com erros de saque dos paulistas para abrir vantagens de 12 a 8 e 18 a 14. Empurrado pela torcida, o Taubaté chegou ao empate antes do Sada fazer um 22 a 19 e ficar com uma mão na vitória. O 23º ponto teve méritos do líbero Serginho, que salvou duas bolas impossíveis, gerando muita reclamação do outro lado. A fúria do Taubaté foi tamanha que gerou um cartão vermelho e o set point ao Sada Cruzeiro. O empate por pouco não veio quando o Taubaté reagiu e levou a decisão para além dos 25 pontos novamente. Desta vez, o Cruzeiro não permitiu ser derrotado no set.

Irreconhecível no momento mais importante do jogo, o Sada viu os seguidos erros virarem vantagens confortáveis para o Taubaté, como nos 8 a 2 e 11 a 3. Sem um desastre para evitar o quase impossível, o time paulista manteve o ritmo para fechar o jogo e ser o responsável pela primeira derrota celeste na Superliga. Na sexta-feira, o Cruzeiro visita o Ponta Grossa Caramuru-PR, que ainda não venceu na competição para seguir na liderança da Superliga.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *