Uso de máscaras é flexibilizado a partir do dia 1º de agosto em Itabira

Decreto a ser publicado neste sábado (30) flexibiliza o uso de máscaras em ambientes fechados em Itabira. A partir do dia 1º de agosto, a obrigatoriedade será restrita a locais considerados mais sensíveis para contaminação. A decisão se dá pela queda nos números de infectados e internações, além da ampliação da vacinação.

Na prática, o novo decreto apenas modifica o decreto 2.346/22, que havia desobrigado o uso de máscaras em ambientes fechados. Acrescenta que também passa a ser obrigatória a proteção em serviços de autoatendimento em estabelecimentos de gênero alimentício. E mantém a obrigatoriedade em estabelecimentos e serviços de saúde; ambientes escolares municipais, estaduais e particulares que atendam crianças menores de 12 anos; transporte coletivo e respectivas estações de embarque e desembarque; e transporte escolar.

A decisão pela flexibilização foi tomada pela Comissão Municipal de Enfrentamento à Covid-19 (Cmec), em reunião no último dia 28. O grupo levou em consideração a queda acentuada no número de infectados em relação a ultima semana e a ampliação da vacinação. O índice de retransmissão caiu para 0,75 e as unidades de saúde estão com menos internações. Ao todo, segundo boletim dessa quinta-feira, oito itabiranos estão em leitos do SUS ou convênios, sendo apenas um em UTI. O último óbito foi registrado no dia 9.

Balanço da Secretaria Municipal de Saúde ainda mostra que 91,1% da população acima de cinco anos já foi vacinada com duas doses. A terceira dose já foi aplicada em 75% das pessoas com mais de 18 anos e a quarta em 37% daqueles com mais de 40 anos. A dose pediátrica, destinada a crianças entre 5 e 11 anos, já tem 95% de adesão na primeira dose e 69% na segunda dose.

“O aumento da cobertura vacinal contra o coronavírus, sem ocorrência de casos positivos graves e com a baixa taxa de positividade de RT-PCR, detectada pelos testes, nos dão mais tranquilidade para tomar essa nova decisão. No entanto, devemos ficar atentos e avaliar periodicamente a necessidade de novas medidas, caso a doença volte a se manifestar com maior gravidade e intensidade”, afirma a secretária de Saúde, Clarissa Santos Lages. 

Para ambientes abertos, não há obrigação do uso da máscara. A secretária, no entanto, recomenda que pessoas idosas e com comorbidades sigam usando a proteção. Da mesma forma, o público em geral com sintomas gripais.  

Fonte: ASCOM-PMI

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.