Nivaldo Ferreira dos Santos: Congresso discutirá organização da comunidade e futuro de Itabira

 488 Visualizações

O principal assunto da reunião da Assembleia Geral Ordinária da Interassociação realizada no dia 5 de junho de 2022 foi a organização do 27º Congresso Municipal das Associações de Moradores de Itabira – o evento será realizado no dia 16 de julho de 2022 e, como sempre, discutirá temas de grande relevância para o nosso município e para o desenvolvimento das atividades das nossas entidades comunitárias.

Durante a reunião foi aberta a discussão sobre os temas a serem tratados no Congresso, que vem sendo realizado anualmente desde 1995, sempre na segunda quinzena do mês de julho – só não foi realizado em 2020, primeiro ano da pandemia do coronavírus, devido às restrições existentes naquele triste momento da nossa história. E foram sugeridos vários temas: “Eleições 2022”, “Fortalecimento do Terceiro Setor”, “Responsabilidades e divisão de tarefas nas diretorias das entidades”, “Políticas públicas”, “Atualização das ZAS (Zonas de Autossalvamento) das barragens da mineração”, “Acesso à informação sobre as ZAS”, “Impactos das ZAS nos investimentos futuros em Itabira”, “Parcerias entre a Prefeitura e a Interassociação, associações de moradores e outras entidades comunitárias”, “Parcerias da Unifei com a Interassociação, associações de moradores e outras entidades comunitárias”, “Dificuldades e preocupações com a (pouca) participação dos cidadãos nas associações de moradores”, “Dificuldades e preocupações com a (pouca) participação dos representantes das associações de moradores nas atividades da Interassociação”  e vários outros.

Ao concluir essa discussão, chegou-se a dois temas, que abrangem a maioria das sugestões apresentadas: “A organização das entidades comunitárias e o desenvolvimento de parcerias com outras organizações”; e “Atualização das Zonas de Autossalvamento das Barragens da Mineração e seus impactos no desenvolvimento e no futuro de Itabira”.

Durante a própria reunião foi possível observar nas falas dos participantes a importâncias dessas discussões e o quanto esses temas estão presentes no dia a dia das comunidades… Observem algumas anotações que eu fiz durante a reunião:

* O Diretor de Patrimônio da Interassociação, José Romão Andrade, observou que “muitas associações estão faltosas nas reuniões da Interassociação – é necessário acompanhar e cobrar o funcionamento dessas associações e a participação de seus representantes na Interassociação”;

* O representante da Associação da Comunidade Rural de Gatos disse o seguinte: “Enfrentamos vários problemas para atualizar a documentação e o estatuto da nossa associação – temos que ter muita persistência. (…) Fizemos ofícios e conversamos pessoalmente em vários órgãos e sempre estamos ouvindo questionamentos sobre a legalidade da entidade – ou seja: estar com as documentações em dia é essencial para conseguirmos qualquer tipo de apoio ou parceria”;

* Zacarias, do bairro Praia, comentou que “a Vale precisa comunicar melhor com as associações, principalmente sobre essas desapropriações que podem acontecer em vários bairros, inclusive no bairro Praia. (…) Parece que isso está sendo mais discutido com o Sindicato Metabase do que com os moradores que são diretamente envolvidos…”;

* Francisca Lilian, do bairro Bela Vista, fez a seguinte colocação: “A sociedade civil precisa realmente assumir o seu papel e se apropriar dos espaços de participação e das informações de interesse coletivo – observem o funcionamento dos vários conselhos municipais e, principalmente, dos conselhos locais de saúde, nos quais a maior dificuldade é a pouca participação dos usuários dos serviços públicos de saúde”;

* Maria José e Vera, da Comunidade Rural de São José do Turvo, comentaram sobre as conquistas que conseguiram a partir da organização da comunidade, destacando o atendimento da Prefeitura com um ônibus toda quarta-feira para levar usuários de serviços de saúde até Ipoema e as ações para reivindicar também o retorno do atendimento no “posto de saúde” que já existiu na comunidade de São José do Turvo;

* Raimundo Nonato e Eduardo, do bairro Betânia, comentaram e agradeceram o apoio do Professor José Carlos e da Interassociação na realização de eleição e na reformulação do estatuto da entidade;

* Francisco Carlos, representante da Interassociação e das associações de moradores no Codema (Conselho Municipal de Meio Ambiente), destacou a preocupação da comunidade com a ocupação das ZAS, que podem abranger cerca de 15% dos imóveis de Itabira, e as negociações da Vale com as comunidades dos bairros Bela Vista e Nova Vista, nas quais fica evidente a dificuldade de acesso a informações essenciais aos moradores – ele comentou também sobre a notificação da Vale devido à poluição do ar (poeira) e a dificuldade que a Prefeitura tem para receber as multas aplicadas à empresa, que sempre recorre… Outra questão pendente lembrada por ele foi a “Central de Resíduos Sólidos”, sobre a qual a Prefeitura e a Vale estão devendo informações à comunidade e precisam definir como e quando será executada – e infelizmente o mesmo tem acontecido quando o assunto é o abastecimento de água e as “soluções definitivas” para os problemas relacionados.

Pois bem: está mais do que evidente que essas questões realmente são muito importantes e precisam ser mais discutidas e esclarecidas, de forma que todos possam participar e contribuir para definir quais são as melhores alternativas para garantir o futuro de Itabira e como colocar em prática as mudanças necessárias e garantir o acesso adequado a todos.

Informem-se e participem do 27º Congresso Municipal das Associações de Moradores de Itabira! Até breve!

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.