TRADIÇÃO: Museu do Tropeiro celebra 19 anos de história

 499 Visualizações

A solenidade oficial contou com apresentações culturais alusivas à tradição tropeira, como os Estaladores de Chicotes, Berranteiro e das Lavadeiras de Ipoema. 

O Museu do Tropeiro, em Ipoema, celebra 19 anos de história nesta terça-feira (29/03). A data foi marcada pela transferência simbólica da sede da Prefeitura de Itabira para o distrito. Logo pela manhã, uma cerimônia com manifestações culturais alusivas às tradições tropeiras e discursos oficiais abriu os trabalhos.

A cerimônia foi acompanhada por membros da comunidade, alunos e professores das escolas da localidade, representantes do Legislativo e secretários municipais. Entre as apresentações durante a manhã, destaque para os tradicionais Estaladores de Chicotes, Berranteiro e para as Lavadeiras de Ipoema, exemplos de patrimônio vivo do domínio local.

O Museu do Tropeiro é uma referência internacional em homenagem aos condutores de tropas que contribuíram na construção da história comercial do país. A diretora do Museu, Tayane D’Ávila Campos, lembrou da referência cultural tropeira tão ativa nos moradores de Ipoema. “O Museu é um divisor de águas na promoção do turismo local e também na história dos moradores daqui, que, assim como eu, representam a cultura tropeira. Essa cultura está eternizada em nossas veias. É um legado de amor e reconhecimento a esses homens que contribuíram para o desenvolvimento do país como um todo”, afirmou a diretora, que é filha de tropeiro.

Produtor rural aposentado, Maurílio Ferreira, de 86 anos, nascido e criado em Ipoema, enalteceu o Museu do Tropeiro. “Hoje é difícil um dia que não tem um turista por aqui, é de grande importância para o distrito. Até a Prefeitura está aqui hoje! Para nós isso é muito bom”, contou alegre o ipoemense, que hoje faz apresentações culturais como estalador de chicote. 

Reconhecimento oficial 

Durante a solenidade de aniversário dos 19 anos do Museu do Tropeiro, o prefeito Marco Antônio Lage entregou à diretora do Museu do Tropeiro, Tayane D’Ávila Campos, uma cópia da Lei 5.331, de 28 de outubro de 2021, que criou oficialmente o Museu do Tropeiro. Antes, desde 2003, o equipamento público tinha o espaço físico e funcionava como museu, mas não havia o reconhecimento legal.

Marco Antônio Lage salientou a importância desta lei e explicou que, a partir da regularização, o Museu do Tropeiro poder inscrever projetos e buscar recursos para o desenvolvimento do patrimônio, por meio de leis de incentivo. “O Museu de Tropeiro existia do ponto de vista físico, mas não existia legalmente. Agora a lei já foi sancionada e a criação deste importante equipamento é uma realidade. Após a lei o Museu do Tropeiro pode receber recursos para desenvolvimento de projetos de preservação e crescimento do espaço”, disse o prefeito.

Após a cerimônia, durante a tarde, o prefeito e secretários municipais atenderam representantes de associações e da sociedade civil de Ipoema. A agenda no distrito será encerrada com inaugurações de ruas e show na praça central.

Prefeito anuncia festival com dez dias de atividades para celebrar a cultura tropeira em Ipoema

O prefeito Marco Antônio Lage anunciou, que Itabira terá, pela primeira vez, um festival para exaltar a cultura tropeira. O evento está marcado para acontecer entre os dias 20 e 29 de maio, em Ipoema, com palestras, cursos, feiras de artesanato e gastronômica, tropeada (tradicional cavalgada), shows e outras atividades.

Prefeito de Itabira Marco Antônio Lage

O anúncio foi feito durante a solenidade de aniversário de 19 anos do Museu do Tropeiro. Marco Antônio Lage explicou que, além da tradicional celebração por mais um ano do equipamento cultural, o festival também vai enfatizar o título de Capital Estadual do Tropeirismo conferido à Itabira pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

O título foi concedido à Itabira em 2013, por meio da Lei 20.709, proposta pela ALMG e sancionada pelo então governador Antônio Anastasia. A legislação reconheceu a importância história do tropeirismo em Itabira e seu valor para o desenvolvimento histórico, turístico, social, cultural e econômico no estado de Minas Gerais.

“Temos de preservar e valorizar essa história. Reafirmar, cada vez mais, que Itabira é a terra do tropeirismo em Minas Gerais e que tem em Ipoema o centro dessa manifestação cultural tão importante. Esse festival, com tantos dias de atividades, é um passo importante que a nossa gestão dá nesse sentido. Vamos celebrar, sim, cada aniversário do Museu do Tropeiro, mas ir além e exaltar o título de Capital Estadual do Tropeirismo que ostentamos há tantos anos, mas que nunca foi bem promovido na cidade”, comentou o prefeito Marco Antônio.

A programação completa do festival está sendo finalizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT), por meio da Superintendência de Comércio e Turismo e do Museu do Tropeiro. A divulgação oficial será feita nos próximos dias.

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.