Governo Bolsonaro vai antecipar 13º salário de aposentados e saque de R$ 1 mil do FGTS

 395 Visualizações

Previsão é de que primeira parcela do 13º salário esteja disponível já em abril para aposentados e pensionistas do INSS.

O governo Bolsonaro (PL) deve antecipar, novamente, o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

A medida, que foi adiantada pelo jornal “O Globo”, está sob o guarda-chuva de Paulo Guedes, ministro da Economia. Segundo o InfoMoney apurou, a primeira parcela estará disponível em abril e, a segunda, no mês de maio.

A antecipação do 13º já foi “remédio” utilizado pelo atual governo nos anos de 2020 e 2021 para aliviar os impactos da pandemia de Covid-19 na economia. Tradicionalmente, o 13º das aposentadorias e pensões é liberado no segundo semestre de cada ano.

O governo também deve anunciar o saque de R$ 1 mil do FGTS (Fundado de Garantia por Tempo de Serviço). As medidas serão tornadas oficiais, ainda esta semana, pelo presidente Bolsonaro.

A atual gestão já havia dito que o saque do FGTS poderia beneficiar ao menos 40 milhões de trabalhadores. Em fevereiro, o ministro Paulo Guedes afirmou que sua equipe estudava liberar o FGTS “porque são fundos privados”.

“São pessoas que têm recursos lá e que estão passando por dificuldades. Às vezes, o cara está devendo dinheiro no banco e está credor no FGTS. Por que não pode sacar essa conta e liquidar a dívida dele do outro lado”, afirmou.

Vale lembrar que esta pode ser a terceira vez que o governo de Jair Bolsonaro autoriza saques extraordinários dos recursos do FGTS.

Em 2019, houve a liberação de saque das contas ativas e inativas do FGTS e PIS/Pasep, com uma injeção de R$ 30 bilhões na economia.

A segunda rodada foi em 2020, já sob a pandemia, com a liberação do saque emergencial do FGTS, na tentativa de mitigar os impactos da crise sanitária na renda dos brasileiros.

Na ocasião, uma MP permitiu aos titulares de uma conta com saldo do FGTS — tanto ativa quanto inativa — saques de até R$ 1.045, que era o valor de um salário mínimo em 2020.

*Por InfoMoney

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.