Painel de cerâmica, exposição e teatro marcam contagem regressiva para o centenário de dom Mário

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 506 Visualizações

A Fundação Comunitária de Ensino Superior (Funcesi), em parceria com a Prefeitura de Itabira e a Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, prestou homenagens ao centenário de nascimento do ex-bispo dom Mário Teixeira Gurgel. Em cerimônia realizada nessa quarta-feira (6), a memória do sacerdote foi lembrada com demonstrações culturais de artistas itabiranos, uma contagem regressiva para a data dos 100 anos, completos no próximo dia 22.

Um painel de cerâmica feito pelo artista plástico Luiz Eugênio Quintão Guerra, o Genin, foi instalado no hall de entrada da Funcesi. A obra é composta por um mosaico de quadros com imagens de dom Mário e Carlos Drummond de Andrade, além de mostrar cenários itabiranos como a presença da mineração e do centro histórico. “Eu parti dos pilares que representam o patrimônio da cidade: dom Mário, Drummond, mineração e Funcesi. Procurei retratar também a parte antiga e colonial de Itabira. Tudo com harmonia”, disse Genin.

Ainda como homenagem, foi aberta a exposição com fotografias que contam os feitos do ex-bispo. As imagens cedidas pela Diocese fazem parte do acervo e podem ser visitadas no pátio da Funcesi, próximo ao auditório. Para o presidente da instituição de ensino superior, Jorge Borges, acolher as homenagens a Dom Mário é muito importante e grandioso. “Com ele criava-se uma energia tão grande, sempre com aquela humildade e simplicidade. Um exemplo que nós temos aqui é na Funcesi, que fez 28 anos”, reforçou Jorge Borges.

A Companhia Itabirana de Teatro também marcou presença na cerimônia com uma peça teatral sobre dom Mário. A apresentação arrancou gargalhadas do público, além de despertar o interesse pela trajetória do sacerdote.

Autor da homenagem que intitula o ano de 2021 como dedicado ao ex-bispo, o prefeito Marco Antônio Lage afirmou que dom Mário é um personagem marcante na história de Itabira e é muito legítimo que as homenagens aconteçam na Funcesi, que foi uma das grandes obras dele, além de tantas outras realizadas em Itabira. “Sorte a minha de ser prefeito no ano de centenário dele. Nós temos um desafio enorme pela frente, mas temos como missão inspirar-se com exemplos como o de Dom Mário para vencer esses desafios. Histórias como a dele nos dão coragem”, destacou Marco Antônio.

História

Segundo o bispo da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, dom Marco Aurélio Gubiotti, dom Mário era “um homem franzino em sua estatura física e um gigante na sua fé”. Ele nasceu no Ceará em 22 de outubro de 1921. Foi ordenado padre em 1942 e nomeado bispo pelo então papa João Paulo VI na mesma data. Dom Mário foi o segundo bispo da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano e escolheu Itabira como sua segunda morada.

Além disso, o sacerdote foi responsável por criar grande parte dos organismos eclesiais, como o Conselho de Pastoral Diocesano e o Centro de Defesa dos Direitos Humanos. Eleito duas vezes como presidente da Regional Leste II na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Mário também esteve presente na Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (Funcesi), Irmandade Nossa Senhora das Dores e assumiu a provedoria do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) na época.

Dom Mário ainda deu início ao projeto da construção da Igreja de Nossa Senhora das Graças, no bairro Pedreira. Escreveu vários livros, sendo que um deles teve sua venda toda revertida para ser usada nas melhorias do bairro e na construção da igreja.

Fonte: ACOM-PMI

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *