Dia da Natureza é comemorado com abertura de exposição sobre Drummond e Mata Atlântica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 224 Visualizações

Em comemoração ao Dia da Natureza, celebrado nesta segunda-feira (4/10), a Prefeitura de Itabira abriu as portas da exposição “Mata Atlântica e Drummond, e agora Natureza?”. A obra reúne poemas ilustrados do escritor que fazem parte de uma coletânea feita em 1982. A exposição é de longa duração e está instalada no Memorial Carlos Drummond de Andrade, localizado no Pico do Amor. 

Quem passou pela exposição pela manhã pôde curtir a apresentação dos integrantes do projeto Drummonzinhos, além de apreciar os desenhos feitos pelos alunos da rede municipal de ensino, que trabalharam com os poemas sobre a Mata Atlântica durante as aulas. Tanto a exposição quanto os desenhos dos alunos reafirmaram a necessidade de sensibilizar a comunidade a respeito da importância da preservação do meio ambiente.

Para a representante da curadoria, Solange Alvarenga, os poemas de Drummond estampados na exposição, juntamente com as fotos, reforçaram o quão significativa é a coletânea. “Carlos Drummond de Andrade, em 1982, lançou o livro Mata Atlântica, onde contou tudo sobre as belezas do bioma e também denunciou sobre o desmatamento. Nós temos o privilégio de ter a Mata do Intelecto aqui em Itabira. Essa exposição fala do machado, do fogo e da proteção”, destacou Solange. A curadoria da amostra também conta com as contribuições de Diego Pimenta e Marina Alvarenga.  

O secretário de Meio Ambiente, Denes Lott, representando o prefeito Marco Antônio Lage, falou durante o discurso de abertura sobre a importância do dia da natureza. “Nós estamos em um fragmento de Mata Atlântica e em um equipamento cultural importantíssimo,talvez um dos mais importantes de Minas Gerais. Nós não damos o devido valor a esse elo. Estamos aqui para refletir sobre tudo isso”, reforçou Denes Lott.

Segundo o superintendente da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), Marcos Alcântara, o trabalho demonstra um novo momento para as atividades intersecretariais, unindo os trabalhos da FCCDA e Secretarias de Educação e Meio Ambiente.“Isso aponta um novo olhar. Drummond é um poeta tão cotidiano que escreveu em 1982  a nossa realidade de hoje. Com a exposição vamos, principalmente, desenvolver educação ambiental com as crianças”, ressaltou. 

A secretária da Educação, Luziene Lage, explicou que a proposta de trabalhar com os poemas de Drummond foi feita pela Secretaria de Meio Ambiente e acolhida pelo setor pedagógico de duas escolas da primeira infância: a Escola Municipal Efigênia Alves Pereira e o CMEI Dona Batistina Pereira. “ Os alunos trouxeram a realidade do seu cotidiano. Colocaram nos desenhos o sentimento sobre a natureza. As crianças são sinceras e retratam o que realmente está dentro delas”, pontuou Luziene.

Fonte: ACOM-PMI/FCCDA

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *