Trabalhadores da Vale retornam às urnas; vão escolher novo horário de trabalho

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 388 Visualizações

O Metabase Itabira iniciou hoje uma série de assembleias que visam a discussão entre os trabalhadores da continuidade ou não do acordo celebrado, ainda que provisório, de um turno de jornada para os trabalhadores de 12 horas contínuas e diárias.

Seguindo os moldes anteriores, as assembleias estão acontecendo nas minas Cauê e Conceição, onde se concentram a maioria dos funcionários.

André Viana Madeira, presidente do Metabase, vê com cautela a votação de seus representados: “Durante estes meses tivemos diversos pontos negativos.

O pagamento prometido de 20% a mais sobre o adicional foi problemático.

Estão reparando o erro dos pagamentos até hoje, demonstrando que a empresa não está preparada para lidar com a nova situação.

Os horários de almoço e jantar, bem como o vale-lanche também foram complicados”. André não quis prever o resultado: É uma situação difícil de analisar. Cabe ao Metabase Itabira promover a democracia e dar oportunidade aos trabalhadores de escolherem.

As assembleias são justamente para isso, esclarecer e colocar para apreciação e votação àqueles que serão diretamente afetados. Um dos diretores que está à frente das assembleias é Flávio Carmo: “O trabalho de conscientização está sendo feito por meio de nossos boletins, programas de rádio e redes sociais. Estamos tranquilos com o nosso trabalho de esclarecimento aos trabalhadores e agora é esperar o resultado”. Ainda de acordo com o presidente, a mesma proposta está sendo apresentada aos trabalhadores do estado do Maranhão e da cidade de Congonhas do Campo, em Minas Gerais.

Entenda
Em agosto de 2020 os trabalhadores disseram não à Vale quando recusaram a jornada de 12 horas. À época, a proposta foi reprovada por 472 votantes, ou seja 52,38 %. Quatro meses depois, a empresa reapresentou o turno de 12 horas. A diferença é que o prazo para avaliação e teste dos trabalhadores reduziu de seis para três meses e com condições de uma PLR favorável àqueles que adotarem o novo turno. A proposta foi aprovada com 745 votos (82,96%). Findado o prazo de experiência, os trabalhadores retornam às urnas para decidirem se permanecem no novo horário em definitivo.

Fonte: ASCOM – METABASE

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *