COVID:19 – Ex-vereador e ‘cônsul’ do Atlético morre em decorrência

 396 Visualizações

Morreu em Montes Claros, no Norte de Minas, na manhã deste sábado (15/5), o ex-presidente da Câmara de Municipal da cidade, Ademar de Barros Bicalho, de 71 anos, vítima da COVID-19. Ele foi vereador por quatro mandatos, mas também tornou-se conhecido como atleticano apaixonado e por ter construído uma moradia com referências à marca e cores do clube por toda parte, a “Casa do Galo”.

Ademar Bicalho morreu na Santa Casa de Montes Claros, onde estava internado havia 28 dias, após apresentar os sintomas da doença.

O corpo do ex-vereador foi sepultado na tarde deste sábado, no Cemitério Parque dos Montes Claros. Por causa do coronavírus, não teve velório.

Ele foi homenageado com uma carreata de parentes, amigos e atleticanos, que saiu da Santa Casa até o cemitério e passou em frente ao antigo prédio da Câmara de Vereadores local, ao lado da sede da prefeitura.

O ex-presidente da Câmara Municipal ganhou o título de “cônsul” do Clube Atlético Mineiro na cidade-polo do Norte de Minas. Mas ele mostrou sua paixão desenfreada pelo time ao construir no Bairro Morada do Parque, na Região Sul da cidade, a “Casa do Galo”.

Os símbolos e cores do Atlético estão espalhados pelos vários cômodos, móveis e objetos da residência, piso, paredes, espelhos, escada, teto, roupa de cama, toalha e até tampa do vaso sanitário.

A sala de visitas é toda decorada em preto e branco. Na parede, um grande quadro pintado com escudo do alvinegro, que aparece em outros cômodos da residência. No térreo, fica o “Quarto do Galo”, onde foi montado um grande arquivo com centenas de fotos, pôsteres e faixas, além de dezenas de camisas do time.

Na “casa temática”, o ex-vereador e torcedor apaixonado recebeu visitas de ex-dirigentes Galo, como o ex-presidente do clube, Luiz Otávio Motta Valadares, o Ziza Valadares. Na residência, também estiveram ex-ídolos da torcida Atlético, como Dario, Reinaldo e Paulo Isidoro.

Ao longo de sua vida, Ademar Bicalho fez inúmeras viagens entre Montes Claros e Belo Horizonte (427 quilômetros) para assistir aos jogos do Atlético no Mineirão e no Independência.

Numas dessas viagens, ele foi protagonista de um episódio que chamou atenção, no Mineirão. Foi no primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro de 1999, quando o Galo venceu por 3 a 2 (a final foi disputada numa melhor de três jogos, mas o time paulista venceu a segunda partida por 2 a 0 e empatou o terceiro confronto, sagrando-se campeão).

Após Guilherme marcar 2 a 0 para o Atlético, o torcedor apaixonado não suportou a emoção e teve uma parada cardiorrespiratória, sendo socorrido pela equipe médica do estádio. O nome dele foi mencionado pelos narradores que faziam a transmissão da partida.

Da mesma forma, Ademar Bicalho será citado no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, na tarde deste domingo (16/5), entre Atlético e América, no Independência. Em atendimento à solicitação de torcedores, ele será homenageado com um minuto de silêncio, a pedido do Conselho do Clube e do presidente atleticano, Sérgio Coelho.

Fonte: Estados De Minas

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.