Manifestantes pró-palestinos se reúnem na Europa e no Iraque

 276 Visualizações

Na França, manifestações foram organizadas em várias cidades, como em Paris, onde as manifestações foram proibidas pelas autoridades, que alegaram que uma marcha pró-palestina em 2014 levou a violentos distúrbios. 

Os manifestantes tentavam se reunir na capital francesa, quando a polícia anunciou “dispersão imediata e sistemática” usando canhões de água e gás lacrimogêneo. 

Segundo jornalistas, policiais e manifestantes se enfrentaram durante a tarde no bairro Barbès, na zona norte da capital. 

Em Londres, milhares de pessoas protestaram no centro da cidade, exigindo que o governo britânico intervenha para que Israel cesse sua operação militar. 

Os manifestantes se reuniram também no início da tarde em Marble Arch, de onde marcharam em direção à embaixada israelense, agitando bandeiras palestinas e outros símbolos, exigindo “liberdade” para os territórios palestinos. 

Segundo os organizadores, a manifestação reuniu cerca de 150 mil pessoas. A polícia não comunicou os números à AFP. 

Na Alemanha, milhares de pessoas se manifestaram em Berlim e outras cidades, convocadas por grupos pró-palestinos.

Em Madrid, cerca de 2.500 pessoas se manifestaram em meio a um ambiente calmo. “O silêncio de uns é o sofrimento de outros”, “Jerusalém, capital eterna da Palestina”, diziam alguns cartazes. “Não é uma guerra, é um genocídio!”, gritaram os manifestantes, que marcharam da estação Atocha até a Puerta del Sol. 

“Eles estão nos massacrando. Estamos em uma situação em que a Nakba [‘catástrofe’, em árabe] continua no século 21”, disse Amira Sheikh-Ali, 37, filha de refugiados palestinos, à AFP em referência ao termo utilizado para designar o êxodo dos palestinos após a criação do Estado de Israel, em maio de 1948. 

Em Varsóvia, cerca de 300 pessoas, principalmente palestinos que vivem na Polônia, manifestaram-se em frente à embaixada israelense. 

E no Iraque, milhares de apoiadores do líder xiita Moqtada Sadr manifestaram-se em Bagdá e em outras cidades com o mesmo propósito. 

Reunidos na Praça Tahrir, no centro da capital, sob uma enorme bandeira palestina, os manifestantes agitaram bandeiras palestinas e iraquianas e seguraram fotos de Moqtada Sadr. 

“Estamos com os palestinos, para o bem e para o mal”, disse Sadr em um discurso lido pelo xeque Ibrahim al Jabari, seu representante em Bagdá, que enfatizou: “Não há diferenças entre sunitas e xiitas no confronto contra o sionismo. Palestinos, o Iraque está com você.”

Fonte: MSN

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.