‘Se sentiu acuado e com medo de ser agredido’, disse delegado após ouvir motorista que dirigia ônibus na hora do acidente

 330 Visualizações

O motorista, Luiz Viana de Lima, que segundo a Polícia Civil (PC), dirigia o ônibus no momento do acidente na BR-381, em João Monlevade, na Região Central de Minas Gerais, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira (7). O motorista, de 47 anos, chegou à delegacia junto com o advogado e seguiu para a coletiva sem conversar com os jornalistas.

De acordo com a Polícia Civil, durante o depoimento, o motorista estava abalado e chorava bastante. Ele disse que deixou o local do acidente porque se sentiu acuado e com medo de ser agredido.

“Após a queda, muitas pessoas procuravam por ele, por isso fugiu do local”, disse o delegado Paulo Tavares Neto.

Ainda de acordo com o delegado, o motorista confirmou que o ônibus apresentou problema mecânico durante a viagem, que passou por manutenção e que houve troca de peças. O motorista ainda reafirmou que faltou freio na hora do acidente.

Após ser ouvido, Luiz Viana de Lima foi liberado. O delegado afirmou que, por enquanto, não há materialidade para que ele seja detido.

Outra coletiva

A Polícia Civil (PC) também ouviu a filha dos donos da empresa Localima. A mulher esteve em João Monlevade para dar suporte às vítimas e familiares. Ela apresentou um documento que comprova a um contrato de arrendamento do veículo entre a Localima e a JS Turismo.

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.