Investigações sobre rachadinhas envolvendo os vereadores Nenzinho e Enfermeiro podem ser prorrogadas

Nenzinho e Aguinaldo Enfermeiro – Fotos: reproduções

Além dos crimes de assédio moral e importunação sexual, a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara de Vereadores de Itabira, também instaurou procedimento para apurar acusação da prática de rachadinha pelos vereadores Agnaldo Vieira Gomes “Enfermeiro” (PRTB) e Weverton Júlio de Freitas Limões “Nenzinho” (PMN). As informações são do Jornal Diário de Itabira.

 
Neste caso, o relatório ainda deve demorar um pouco mais para ser concluído. A expectativa é de prorrogação do prazo das investigações, estabelecido em 180 dias e que vence no final deste mês. O regimento interno determina prorrogação por igual período se for o caso.

Segundo o presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, Weverton Leandro Santos Andrade “Vetão” (PSB), a ausência de alguns dos notificados comprometeu o prazo para andamento dos processos. A comissão agora está dependendo da liberação de cópias dos depoimentos prestados na Justiça pelos suspeitos. Ele explicou que a comissão não tem poder de polícia, por isso, não pode obrigar a pessoa convocada a comparecer.

A comissão já está providenciando também a solicitação da cópia do depoimento prestado por Agnaldo Gomes, que estava foragido. “Como o Agnaldo foi preso, vamos solicitar cópia do depoimento [dele] até mesmo para garantir o direito ao contraditório. Já foram oficiados ao Judiciário três depoimentos no caso do vereador Nenzinho e da mesma forma que vamos seguindo com os demais procedimentos”, afirmou Weverton Andrade. 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.