Bolsonaro demite General Santos Cruz da Secretaria de Governo; general Ramos será substituto

O ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, deixará a equipe do presidente Jair Bolsonaro. Segundo apurou a reportagem, o general já foi avisado em reunião nesta quinta-feira (13/06), antes de o Bolsonaro viajar a Belém, no Pará, onde cumpre agenda. Este é o terceiro ministro que deixa o governo desde janeiro. 

Para a vaga, de acordo com o porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, o presidente Jair Bolsonaro já escolheu o substituto para o cargo. O sucessor é o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira. Atualmente, ele comandante militar do Sudeste.

Estavam presentes no encontro o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva.

A demissão de Santos Cruz foi atribuída ao “desalinhamento” com o presidente em questões como comunicação e a centralização de poder na sua pasta. O ministro foi alvo recentemente de críticas do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente, sobre os rumos da comunicação no Palácio do Planalto. 

Também se envolveu em polêmicas com o escritor Olavo de Carvalho, considerado o guru do bolsonarismo. O ministro vinha acumulando desgaste desde que reagiu às críticas de Olavo, a quem atribuiu uma “personalidade histérica”.Continua depois da publicidade

Bolsonaro, porém, em nenhum momento saiu em defesa do seu ministro e chegou a condecorar Olavo com a Ordem Nacional de Rio Branco em meio à polêmica. A atitude incomodou a ala militar do governo.

Nesta quinta-feira, antes de ser informado da saída, Santos Cruz esteve no Senado, em audiência na Comissão de Transparência, onde defendeu a permanência do colega de Esplanada, Sergio Moro, no Ministério da Justiça..

Outras baixas no governo

Antes dele deixaram o governo Gustavo Bebiano, que ocupava a Secretaria geral e foi denunciado em suposto esquema de candidaturas laranjas. No Ministério da Educação Ricardo Vélez também foi substituído por se envolver em polêmicas, consideradas falhas pela administração.

 Com Estadão Conteúdo  

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.