Ressarcimento da Vale a MG após tragédia em Brumadinho deve superar R$ 100 milhões

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 90 Visualizações

Globo Minas

O Advogado-Geral de Minas Gerais, Sérgio Pessoa de Paula Castro, afirmou na segunda-feira (25/03), que a Vale já depositou R$ 43 milhões nas contas do estado para o ressarcimento dos custos com a operação de resgate do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho. Ele ainda confirmou que estado espera por mais R$ 60 milhões, que deverão ser recebidos em valores ou por meio do fornecimento de serviços ou equipamentos ao estado.

A declaração foi feita durante uma apresentação de um balanço dos trabalhos feitos pelo governo do estado nos dois primeiros meses desde a tragédia .

“Em razão da situação de calamidade financeira do estado de Minas Gerais foi imposto pelo poder judiciário, a partir de pedido formulado na ação, o ressarcimento de custos dos recursos que estão sendo utilizados pelo estado para equacionar esta grande tragédia. Então todos os custos envolvidos, tanto aqueles referentes a despesas já executadas, quanto as despesas programadas sempre dentro da perspectiva do que é ação emergencial, serão honradas pela empresa, ” confirmou Sérgio Pessoa.

Estiveram presentes na coletiva de imprensa os representantes das Advocacia e Ouvidoria Gerais do Estado, Secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social. Representando as forças de segurança que ainda atuam na área da tragédia, participaram Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícias Civil e Militar.[pro_ad_display_adzone id=”44899″ align=”right”]

A barragem da mina Córrego do Feijão se rompeu na tarde no dia 25 de janeiro. Entre as vítimas, 214 corpos já foram identificados e 91 pessoas ainda são consideradas desaparecidas. A avalanche de lama ainda deixou cerca de 80 pessoas desabrigadas.

Segundo o representante da Polícia Militar de Minas Gerais (PM) na coletiva, Capitão Cristiano Araújo, atualmente o foco da atuação está na segurança dos imóveis, com patrulhamento 24 horas da área atingida. Ao todo 6670 homens da PM foram envolvidos na operação em Brumadinho.

Cão farejador é usado por bombeiros na busca por vítimas da lama da barragem estourada em Brumadinho — Foto: Mauro Pimentel/AFP

Cão farejador é usado por bombeiros na busca por vítimas da lama da barragem estourada em Brumadinho — Foto: Mauro Pimentel/AFP

O Corpo de Bombeiros reforçou que as buscas pelos corpos desaparecidos continuam sem qualquer interrupção. Em algumas áreas iluminadas durante a noite, os trabalhos têm avançado até as 23h. Segundo o Tenente Pedro Aihara, porta-voz da corporação, não teve um só dia em que corpos ou segmentos não tenham sido encontrados.

“As únicas duas hipóteses de finalização das nossas operações são ou a localização de todos os desaparecidos ou então a impossibilidade de continuidade da operação devido à questão biológica, a questão da decomposição dos corpos. Só que não existe mesmo a previsão em relação essa data porque dependendo da localização de um corpo, a velocidade da decomposição dele vai variar , ” reforçou Aihara.

Tenente Aihara destacou que não há previsão para o término de operação. — Foto: Carlos Amaral/G1 Minas

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *