Cotidiano, Itabira

Saae retoma obras da ETA no bairro Chapada

Para resolver a falta d’água nos bairros Chapada e Boa Esperança, Prefeitura investe em solução definitiva que beneficiará mais de quatro mil pessoas

Paralisada há quase dois meses, devido a uma ação judicial, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira reiniciou, na semana passada, as obras de construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) Chapada. O empreendimento beneficiará mais de quatro mil pessoas.

Como já explicado pelo diretor-presidente da autarquia, Leonardo Ferreira Lopes, a oferta de água no bairro Chapada é insuficiente e o problema se agravou com o crescimento populacional da região nos últimos 12 anos. O abastecimento, atualmente realizado por meio de poço artesiano, não supre a necessidade dos moradores.

“A maior demanda desta região é a falta de água. A comunidade é atendida por dois poços artesianos, que não conseguiram acompanhar o crescimento da população. Então, a solução definitiva para essa questão é construir a ETA”, afirmou o diretor-presidente durante uma visita técnica realizada nesta semana. Ainda segundo Leonardo Lopes, os poços artesianos não serão desativados. “Iremos tratar a água do córrego com uma vazão de 10 litros por segundo e, junto aos poços, será suficiente para atender de forma adequada a população de toda a região do Chapada e do Boa Esperança”, garantiu.

A expectativa da aposentada Lourdes Lisboa Ribeiro, moradora da região, é que a ETA resolva definitivamente o problema. “Principalmente no fim de semana, que a água do Saae não cai mesmo. Com essa obra, espero que melhore para todo mundo”.

Diretor-presidente do SAAE, Leonardo Ferreira Lopes

De acordo com Leonardo Lopes, os trabalhos seguem na etapa de fundação e, por causa do atraso, a ETA será concluída no final do primeiro semestre. Em contrapartida, o Saae já concluiu 30% da construção de fossas sépticas acima do local onde será implantada a nova ETA. Com os trabalhos, até meados de abril 70 famílias das Areais, localidade do bairro Chapada, terão a garantia da qualidade da água que será tratada no local.

“Até então, essas casas não tinham acesso a tratamento adequado de esgoto, que era despejado no córrego que faremos a captação de água para a ETA. Agora, os moradores contam com o benefício de fossas biodigestores e nós sabemos que para cada investimento em saneamento básico, geramos economia ainda maior à saúde pública”, explicou o diretor-presidente.

Instalação de fossas sépticas nas residências.

Para Naévio Merquíades Lopes, que também mora na região, a instalação das fossas deixará a água “mais pura”. “O esgoto de todos aqui jorrava para o córrego. Eu acho que vai melhorar muito porque tira a contaminação da água, fica melhor e todo mundo pode usar”, avaliou o aposentado.

Outra ETA

Já na Serra dos Alves, localidade turística do município, a obra também sofre atrasos, pois o Saae negocia a compra do lote onde será construída a Estação de Tratamento de Água. “É necessário um terreno de no mínimo 600m². Estamos analisando as áreas disponíveis para definir o local o mais rápido possível”, ressaltou Leonardo Lopes.

Em tempo

No distrito Ipoema, as obras de modernização e ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) estão quase concluídas. A construção de novas redes e ramais executou 600 metros de rede coletora de esgoto e 700 metros de emissários – parte do sistema de esgotamento sanitário que conduz os resíduos recebidos da rede coletora para o tratamento – totalizando, portanto, 1,3 mil metros de novas redes. “Com isso, 100% da sede urbana no distrito contará com coleta e tratamento de esgoto”, garantiu o diretor-presidente.

Também em andamento, segundo Leonardo Lopes, a construção da Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) da ETA Senhora do Carmo, que permitirá a recirculação de até 5% da produção da água.

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend