Mundo, Política

IMPASSE – Congressistas fecham acordo provisório para evitar nova paralisação nos EUA

Senador republicano Richard Shelby conversa com a imprensa durante intervalo de reunião com os democratas em que os parlamentares discutiram acordo sobre o orçamento do governo americano — Foto: Mark Wilson / Getty Images América do Norte / AFP

Parlamentares democratas e republicanos anunciaram ter alcançado na noite de segunda-feira (11/02) um acordo provisório para evitar uma nova paralisação do governo dos Estados Unidos, que poderia acontecer no fim desta semana.

“Alcançamos um acordo de princípio sobre segurança interna, entre outros”, disse o senador republicano Richard Shelby à imprensa.

Ainda não foram divulgados detalhes do acordo, mas, segundo a imprensa americana, a negociação inclui 1,375 bilhão de dólares para construção de barreiras verticais de aço na fronteira com o México, e não em um muro sólido, como deseja o presidente Donald Trump. O valor acordado permite a construção de 89 km de muros.

O valor é muito inferior ao exigido inicialmente pelo mandatário americano para a construção da barreira de concreto. Em dezembro, Trump queria 5,7 bilhões para a construção de 215 km de muros.

Por outro lado, o acordo omitiria o limite máximo de detidos no país, que era uma exigência democrata, segundo o jornal “The Washington Post”.

Esse acordo ainda deverá ser aprovado pela Casa Branca para evitar um novo ‘shutdown’, como é conhecido o bloqueio administrativo, quando se esgotarem os fundos atuais, na próxima sexta (15).

“Nossas equipes estão apenas trabalhando nos detalhes”, afirmou a deputada democrata Nita Lowey.

Os democratas e Trump estão há semanas em um impasse sobre o financiamento do muro na fronteira dos Estados Unidos com o México, que foi uma das principais promessas de campanha do presidente.

Em imagem de arquivo, presidente da Câmara de Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, bate palmas enquanto o presidente Donald Trump se aproxima para fazer seu discurso de Estado da União no Capitólio, em Washington DC, na noite de terça-feira (5) — Foto: Doug Mills/The New York Times via AP/Pool

Em imagem de arquivo, presidente da Câmara de Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, bate palmas enquanto o presidente Donald Trump se aproxima para fazer seu discurso de Estado da União no Capitólio, em Washington DC, na noite de terça-feira (5) — Foto: Doug Mills/The New York Times via AP/Pool

Impasse

O impasse provocou a paralisação parcial do governo federal durante 35 dias – a mais longa da história americana. Durante esse período, cerca de 800 mil funcionários federais ficaram em licença não remunerada, ou trabalhando sem receber. Em áreas sensíveis, como segurança interna e transportes, o pessoal foi reduzido ao mínimo.

A paralisação da administração acontece quando o Congresso e o Executivo não conseguem chegar a um acordo sobre a aprovação de uma lei orçamentária para os custos do governo.

Em 25 de janeiro, o presidente promulgou uma lei que dava aos congressistas três semanas para concluir um acordo sob risco de um novo ‘shutdown’. O prazo termina nesta sexta-feira (15/02).A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, assina acordo para encerrar paralisação parcial do governo até 15 de fevereiro, ao lado de congressistas nesta sexta-feira (25) no Capitólio — Foto: Andrew Harnik/AP Photo

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, assina acordo para encerrar paralisação parcial do governo até 15 de fevereiro, ao lado de congressistas nesta sexta-feira (25) no Capitólio — Foto: Andrew Harnik/AP Photo

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend