Cultura, Música

‘Bohemian Rhapsody’ surpreende e é o grande vencedor do Globo de Ouro

* Correio Braziliense
(foto: Mario Anzuoni/NBC)

Uma noite de surpresas, mas que demorou muito (quase três horas e meia de show) a ser delineada, serviu para trazer interesse na entrega do 76º Globo de Ouro. Nem tudo saiu como o previsto: o filme mais insuflado (nas bilheterias, com renda de quase US$ 400 milhões) era Nasce uma estrela, que faturou troféu apenas para a música Shallow (cocriada por Lady Gaga). [pro_ad_display_adzone id=”44899″ align=”right”]

Com apenas duas indicações, o drama musical Bohemian rhapsody foi dado como Melhor longa na categoria drama, condensando muito dos discursos ouvidos pelos vencedores que martelaram na tecla da necessidade de união entre as pessoas e ainda abrangendo uma representação para um personagem gay (o cantor Freddie Mercury), que, dado como minoria, uniu povos e culturas, por meio do talento na música.

Ator à frente da persona de Mercury, o premiado Rami Malek lembrou que o filme existiu “para e por causa” do cantor. A vitória inesperada veio para fazer companhia com outro desfalque da noite: a falta de prêmio de Melhor atriz para Lady Gaga, com o prêmio atribuído para a veterana Glenn Close do drama A esposa. Em memória da mãe, “subjugada, no cotidiano, pelo marido” (como descreveu), a atriz enfatizou a necessidade de as mulheres acharem “prazeres e recompensas pessoais” ao longo da vida.

As mulheres também estiveram ostensivamente citadas nos discursos de um dos maiores vitoriosos da noite, o diretor Alfonso Cuarón, diretor de Roma (que obteve prêmios de Melhor direção e de Melhor filme estrangeiro). A todo momento, Cuarón celebrou a parceria com as atrizes Yalitza Aparicio e Marina de Travira, isso além de ressaltar a origem mexicana, uma espécie de “laboratório” para torná-lo um artista tão exitoso e reconhecido em Hollywood.

inda dentro de um quadro inesperado, a comédia Green book: O guia teve cacife para desbancar O retorno de Mary Poppins e o insuflado A favorita do posto de Melhor filme em comédia ou musical. Novamente, a união e um discurso contra discriminações despontou, já que o filme, baseado em caso real, trata de entendimento entre dois homens unidos pela diversidade: um é um cantor negro discriminado (Mahershala Ali, premiado como coadjuvante), enquanto o outro, um motorista branco, desponta como um casca-grossa de bom coração.

No terreno da discórdia racial, Regina King, levou como atriz coadjuvante, no drama racista Se a rua Beale falasse (de Barry Jenkins). “Pela primeira vez na tela, meu filho se disse capaz de se reconhecer”, comentou.

Um dos grandes perdedores da noite foi Spike Lee, com seu Infiltrado na Klan (que perdeu nas quatro categorias as quais concorria). A favorita, comédia de intrigas palacianas venceu apenas o esperado Globo de Ouro de Melhor atriz para Olivia Colman. O primeiro homem, a análise dos bastidores da chegada dos astronautas na lua, ficou apenas com o prêmio na categoria de trilha sonora.

Com divertido discurso autodepreciativo, o ator Christian Bale conquistou risos, ao agradecer a premiação, pela rica composição do personagem Dick Cheney, vice-presidente dos Estados Unidos (na era Bush) e que está representado em Vice, uma comédia.

Séries
Na última tentativa, depois de seis temporadas, The americans levou seu esperado Globo de Ouro de melhor série de tevê. Numa festa que homenageou atores maduros como a comediante Carol Burnett e o astro Jeff Bridges, soou muito positiva a vitória dos experientes personagens da melhor série de comédia O método Kominsky (que trouxe prêmio de melhor ator para Michael Douglas).

Histórias de escândalo, crimes e perversões também foram valorizadas nas categorias destinadas a produções televisivas. O caso que envolveu a morte do estilista Gianni Versace (nos anos 90), retratado na série O assassinato de Gianni Versace: american crime story foi valorizado como melhor minissérie e ainda faturou os holofotes para o ator (visto antes em Glee) Darren Criss.Escape at Dannemora, que trata dos bastidores de uma cadeia e de um sistema prisional falho, sagrou Patricia Arquette como melhor atriz, enquanto Objetos cortantes endossou o reconhecimento para a coadjuvante Patricia Clarkson.

A luta pela vida, em perigosas aventuras do dia a dia (na ficção), criaram as condições para as premiações de Richard Madden (de Bodyguard), da atriz Sandra Oh (de Killing Eve) e, num patamar de intriga política, do ator de A very english scandal Ben Wishaw, coadjuvante, na trama que honra escândalo de perseguição associado a um “ícone LGBT”.

Num clima bem mais leve, ainda que mostre o afronte de uma mulher contra um universo que favorece o machismo, a série de comédia The marvelous Mrs. Maisel trouxe, na segunda temporada, mais um Globo de Ouro para a atriz Rachel Brosnahan .

Confira os vencedores: 

 

Cinema

Melhor filme em drama:
 
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Bohemian rhapsody
Se a rua Beale falasse
Nasce uma estrela
 
Melhor filme em comédia ou musical:
 
Podres de ricos
A favorita
Green book – O guia
O retorno de Marry Poppins
Vice
 
Melhor atriz em filme de drama:
 
Glenn Close – A esposa
Lady Gaga – Nasce uma estrela
Nicole Kidman – O peso do passado
Melissa McCarthy – Poderia me perdoar?
Rosamund Pike – A private war
 
Melhor ator em filme de drama:
 
Bradley Cooper – Nasce uma estrela
Willem Dafoe – No portal da eternidade
Lucas Hedges – Boy erased: Uma verdade anulada
Rami Malek – Bohemian rhapsody
John David Washington – Infiltrado na Klan
 
Melhor atriz em filme de comédia ou musical:
 
Emily Blunt – O retorno de Marry Poppins
Olivia Colman – A favorita
Elsie Fisher – Oitava série
Charlize Theron – Tully
Constance Wu – Podres de rico
 
Melhor ator em filme de comédia ou musical:
 
Christian Bale – Vice
Lin-Manuel Miranda – O retorno de Marry Poppins
Viggo Mortensen – Green book – O guia 
Robert Redford – The old man and the gun
John C. Reilly – Stan & Ollie
 
Melhor atriz coadjuvante:
 
Amy Adams – Vice 
Claire Foy – O primeiro homem
Regina King – Se a rua Beale falasse
Emma Stone – A favorita
Rachel Weisz – A favorita 
 
Melhor ator coadjuvante:
 
Mahershala Ali – Green book – O guia
Timothee Chalamet – Querido menino
Richard E. Grant – Poderia me perdoar?
Sam Rockwell – Vice
Adam Driver – Infiltrado na Klan
 
Melhor direção:
 
Bradley Cooper – Nasce uma estrela
Alfonso Cuarón – Roma
Peter Farrelly – Green book – O guia
Spike Lee – Infiltrado na Klan
Adam McKay – Vice
 
Melhor roteiro:
 
Roma (Alfonso Cuaron)
A favorita (Deborah Davis, Tony McNamara)
Se a rua Beale falasse (Barry Jenkins)
Vice (Adam McKay)
Green book – O guia (Nick Vallelonga, Brian Currie, Peter Farrelly)
 
Melhor animação:
 
Os incríveis 2
Homem-Aranha no aranhaverso 
WIFI Ralph – Quebrando a internet
Ilha dos cachorros
Mirai
 
Melhor filme estrangeiro:
 
Capernum (Líbano)
Roma (México)
Never look away (Alemanha)
Shoplifters (Japão)
 
Melhor trilha sonora:
 
Um lugar silencioso
Ilha dos cachorros
Pantera Negra
O primeiro homem
O retorno de Marry Poppins
 
Melhor música original:
 
Pantera Negra – All the stars
Dumplin – Girl in the movies
A private war – Requiem for a private war
Boy erased: uma verdade anulada – Revelation
Nasce uma estrela – Shallow

Televisão

Melhor série em drama:
 
The americans
Bodyguard
Killing Eve
Homecoming
Pose
 
Melhor série em comédia ou musical:
 
Barry
The good place
Kidding
O método Kominsky 
The Marvelous Mrs. Maisel
 
Melhor minissérie ou filme para televisão:
 
O alienista
O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Objetos cortantes
A very english scandal
Escape at Dannemora
 
Melhor atriz em minissérie ou filme para televisão:
 
Amy Adams – Objetos cortantes
Patricia Arquette – Escape at Dannemora
Connie Britton – Dirty John
Laura Dern – The tale
Regina King – Seven seconds
 
Melhor ator em minissérie ou filme para televisão:
 
Antonio Banderas – Genius: Picasso
Daniel Bruel – O alienista
Darren Criss – O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Benedict Cumberbatch – Patrick Melrose
Hugh Grant – A very english scandal
 
Melhor atriz em série dramática:
 
Caitriona Balfe – Outlander
Elisabeth Moss – The handmaid’s tale
Sandra Oh – Killing Eve
Julia Roberts – Homecoming
Keri Russell – The americans
 
Melhor ator em série dramática:
 
Jason Bateman – Ozark
Stephan James – Homecoming
Richard Madden – Bodyguard
Billy Porter – Pose
Matthew Rhys – The americans
 
Melhor atriz em série de comédia ou musical:
 
Kristen Bell – The good place
Candice Bergen – Murphy Brown
Alison Brie – GLOW
Rachel Brosnahan – The marvelous Mrs. Maisel
Debra Messing – Will & Grace
 
Melhor ator em série de comédia ou musical:
 
Sacha Baron Cohen – Who is America
Jim Carrey – Kidding
Michael Douglas – O método Kominsky 
Donald Glover – Atlanta 
Bill Hader – Barry 
 
Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para televisão:
 
Alex Bornstein – The marvelous Mrs. Maisel
Patricia Clarkson – Objetos cortantes
Penelope Cruz – O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Thandie Newton – Westworld
Yvonne Strahovski – The handmaid’s tale 
 
Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou filme para televisão:
 
Alan Arkin – O metódo Kominsky
Kieran Culkin – Succession
Edgar Ramirez – O assassinato de Gianni Versace: American crime story
Ben Whishaw – A Very English Scandal
Henry Winkler – Barry 
ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend