Esportes, Natação

Revezamento do Brasil é bronze no Mundial da China, e Cielo abre possível despedida com pódio

Quarteto brasileiro é terceiro no 4x100m livre no primeiro dia de disputas do Mundial em piscina curta de Hangzhou; Cielo se torna recordista de medalhas do país na competição

Globo Esporte

Cesar Cielo tem evitado falar em despedida, mas já deu sinais de que o Mundial de piscina curta (25m) de Hangzhou, na China, deve ser a última grande apresentação internacional da brilhante carreira. Competição que começou com medalha e recorde para o maior nadador brasileiro de todos os tempos. O paulista de Santa Bárbara d’Oeste liderou o quarteto do 4x100m livre do Brasil, que garantiu o bronze na abertura do torneio nesta terça-feira (11).[pro_ad_display_adzone id=”44899″ align=”right”]

Com a medalha, Cielo se isolou como maior medalhista do Brasil na história dos Mundiais em piscina curta. São 11 pódios para o multimedalhista olímpico contra 10 de Gustavo Borges.

Matheus Santana, Marcelo Chierighini e Breno Correia completaram o time verde e amarelo que venceu disputa acirrada com a Itália e bateu em terceiro na final do 4x100m livre com o tempo de 3m05s15 – cinco centésimos abaixo do time italiano (3m05s20). A medalha de ouro foi para os Estados Unidos, com 3m03s03, e a prata ficou com a Rússia, que cravou 3m03s11.

 
 
Brasil ganha medalha de bronze no 4x100m nado livre no Mundial de piscina curta

Brasil ganha medalha de bronze no 4x100m nado livre no Mundial de piscina curta

– Tenho que agradecer aos meus amigos aqui. Todos fizeram um trabalho excepcional. A gente troca os nomes, mas os resultados estão sendo constantes (para o revezamento). Estar subindo no pódio de um Mundial, que pode ser meu último, é fora de série. Essa medalha de bronze vale ouro. Ganhar na natação é muito bom, mas no revezamento é ainda melhor. Chegar ao pódio em Mundiais desde 2004… Agora esse ciclo está acabando e graças a Deus tive muitas felicidades – comemorou Cielo.

É a quinta medalha do Brasil no revezamento 4x100m livre masculino em Mundias de piscina curta: o time já foi ouro em 1993 e 1995, prata em 2004 e bronze em 2010. Cesar Cielo esteve nos pódios de 2004, nos Estados Unidos, e 2010, nos Emirados Árabes. Chierighini também fez parte da campanha de 2010.Mundial de Hangzhou em piscina curta - Revezamento 4x100m masculino Cesar Cielo, Marcelo Chierighini, Matheus Santana e Breno Correia — Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA

Mundial de Hangzhou em piscina curta – Revezamento 4x100m masculino Cesar Cielo, Marcelo Chierighini, Matheus Santana e Breno Correia — Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA

A prova

Após fazer a segunda melhor marca nas eliminatórias, o Brasil entrou como um dos favoritos na decisão. Matheus Santana abriu para o time verde e amarelo e entregou na sexta colocação com parcial de 46s83. Marcelo Chierighini veio na sequência e manteve a posição, com 46s37.

Mais experiente do grupo com sobras, Cielo foi para a água em terceiro e começou a ganhar terreno para o Brasil. Subiu uma posição nos primeiros 50m, seguiu avançando e entregou em quarto, após parcial de 46s34.

Foi a vez então do jovem Breno Correia, de apenas 19 anos, dar um espetáculo. O baiano travou lindo duelo com Lorenzo Zazzeri, que recebeu em terceiro pelo time da Itália. Breno encostou na passagem dos 50m, seguiu forte e passou o italiano na reta final, cravando a melhor parcial do Brasil na prova (45s61) e garantindo a medalha de bronze.

– Uma sensação muito pegar pódio logo na primeira competição internacional a nível mundial. É muito gratificante. Ainda mais com eles, que acompanho desde que era infantil, juvenil – vibrou Breno.

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend