Meio Ambiente, Minas Gerais

UFMG apresenta novos mapas territoriais de Catas Altas

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) apresentou quatro novos mapas do sistema operacional de gerenciamento territorial de Catas Altas.

Os mapas foram feitos pela equipe do Centro de Pesquisa-Ação em Planejamento Turístico (Ceplantur) do Instituto de Geociências da UFMG.

Eles apresentam algumas características geográficas do município e foram divididos em: Mapa Territorial e Rodoviária, Mapa Hidrográfico, Mapa Ambiental e Mapa do Uso do Solo.

No Mapa Territorial e Rodoviário estão esboçadas a composição do relevo, por meio do recurso moderno chamado Modelo Digital de Terreno, construído a partir de uma interpretação tridimensional de imagens de satélite, e as redes de comunicação rodoviária e ferroviária.

Em Mapas Hidrográficos, é possível ver os elementos básicos do relevo e sua relação com as fontes de recursos hídricos. No Mapa Ambiental estão traçadas as condições ambientais e os recursos ecológicos reinantes no território em 2018.

Por fim, em Mapa do Uso do Solo foi apresentada uma imagem do que está sendo feito do território de Catas Altas atualmente.

A produção dos mapas é uma das ações previstas no convênio assinado entre a Prefeitura e a UMFG por meio do Centro de Pesquisa-Ação em Planejamento Turístico do IGC/UFMG e da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) para elaborar medidas em prol do desenvolvimento do turismo local.

O projeto envolverá ações colaborativas técnico-científicas de planejamento territorial nas áreas de turismo, meio ambiente e de desenvolvimento urbano.

Além do plano de monitoramento ambiental (com criação da cartografia do uso e Ocupação do Solo e aquisição da imagem de satélite), estão previstos elaboração de planos de manejo e gestão dos atrativos naturais e dos bens culturais (levantamento e qualificação de trilhas, sinalização turística, estudo arqueológico Serra do Pinho, entre outras); gestão e monitoramento da atividade turística (como atendimento, capacitação de monitores, projeto de comunicação, levantamento de demandas e ofertas); e apoio técnico-científico ao marketing e eventos (para concepção do marketing do destino e organização do 1º Fórum do Turismo da região do Caraça).

ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend