COM MUITA EMOÇÃO – Croácia despacha a anfitriã Rússia nos pênaltis e volta a disputar uma semifinal

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 100 Visualizações

Se não foi o melhor jogo tecnicamente, Rússia e Croácia fizeram um dos, senão, o mais emocionante jogo de Copa até aqui. Igualdade durante os 90 minutos em 1 a 1, mais dois gols na prorrogação, um para cada lado e novo empate. E nas penalidades, melhor para a Croácia, com direito a pênalti chorado de Modric, para recolocar a seleção nas semifinais pela segunda vez na história, repetindo 1998, 4 a 3.

Cheryshev marcou um golaço para abrir o placar, Kramaric empatou ainda no primeiro tempo. Sem gols na etapa final, veio a prorrogação. Vida, no primeiro tempo, marcou de cabeça para virar para a Croácia. O duelo parecia definido,mas, quase no último respiro, o brasileiro naturalizado russo, Mário Fernandes, decretou nova igualdade.

Na cobranças por pênaltis, porém, o brasileiro perdeu sua batida, assim como Smolov, que abriu a série com uma cavadinha pessimamente executada, defendida por Subasic. Entre os croatas, Kovavic parou em Akinfeev, mas foi o único. O goleiro russo ainda chegou a espalmar a bola batida por Modric, mas ela bateu na trave e entrou no cantinho do outro lado, entrando para a história como talvez o pênalti mais chorado da história das Copas. Por fim, Rakitic fez o seu e decretou a vitória de sua seleção. Eles voltam a campo na próxima quarta-feira (11), às 15h, em Lujniki, para encarar a Inglaterra.

Tudo igual
Empurrados pelo torcedor, os russos acreditaram que era possível avançar, mesmo diante do favoritismo croata. Num lindo gol de Cheryshev, de fora da área, o sonho de avançar às semifinais se tornou ainda mais real. O meia recebeu na intermediária, avançou, e mesmo cercado, acertou um chutado sem chances para Subasic, aos 31 minutos. Mas a alegria não durou muito. Em contragolpe rápido, oito minutos depois, Mandzukic recebeu na direita, invadiu a área, e sem ser incomodado colocou na cabeça de Kramaric, que deixou tudo igual.

O segundo tempo teve a Croácia mais perto da virada, inclusive com uma bola na trave de Perisic. Como ela não entrou, mais 30 minutos de drama para as duas torcidas.

Prorrogação
Com mais qualidade técnica, a Croácia continuou a insistir no ataque, e acabou premiada aos dez minutos do primeiro tempo extra. Após cobrança de escanteio de Modric, Vida ganhou a briga pelo alto e marcou. 

Quando a partida já parecia definida, o brasileiro naturalizado russo, Mário Fernandes, tratou de garantir mais emoção na disputa dos pênaltis. Em falta cobrada no bico da área por Dzagoev, ele subiu muito e deixou tudo igual, 2 a 2 aos nove minutos.

Emoção atéo fim
Com tudo igual,definição nos pênaltis. O primeiro a bater foi Smolov, que tentou uma cavadinha e se deu mal. Mesmo caído, Subasic teve tempo de se ajeitar e pegar a fraca cobrança. Brozovic partiu para a bola e não deu chances para o rival, 1 a 0. Dzagoev deixou tudo igual, e os russos pássaram a acreditar mais quando Akinfeev pegou chute de Kovasic. Aí veio Mário Fernandes,que de heroi passou a vilão ao chutarpara fora. Modric também quase perdeu. Seu chute foiespalmadopor Akinfeev,mas caprichosa, a bola bateu na trave e foi entrar no outro lado, arrancando suspiros das duas seleções. Ignashevich ainda deu esperança aos donos da casa,mas vida voltou a marcar, 3 a 2 Croácia. Kuzyaev deixou tudo igual, mas na últimacobrança da série o experiente Rakitic nãoa desperdiçou e colocou seu país em mais uma semifinal de Copa do Mundo.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *