BRASILEIRÃO – Em jogo com arbitragem polêmica, Cruzeiro só empata com Vasco em despedida antes da Copa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 91 Visualizações

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro/divulgação

O Cruzeiro derrapou diante do Vasco na noite desta quarta-feira (6) e apenas empatou no último jogo diante de seu torcedor, no Mineirão, antes da parada para a Copa do Mundo. Pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, Andrey e Raniel fizeram os gols no Gigante da Pampulha em partida marcada por lances polêmicos, já que o clube mineiro reclamou de dois pênaltis não assinalados pelo árbitro.

O empate em casa fez o Cruzeiro perder posições na tabela de classificação. Agora, o time estrelado tentará se recuperar contra a Chapecoense, no sábado, às 19h, na Arena Condá, em Chapecó. Depois, a equipe de Mano Menezes visitará o Paraná, em Curitiba, na última rodada antes da pausa na Série A em função do Mundial.

O jogo

O Cruzeiro começou pressionando o Vasco e foi da Raposa a primeira boa chance do jogo. Dedé subiu mais alto na área após cobrança de escanteio feita por Robinho, consegue o cabeceio, mas a bola passa perto da trave direita do goleiro Fernando Miguel.

O ímpeto ofensivo celeste era maior que o Vasco, que se posicionava no campo defensivo para evitar o pior. Um minuto após a chance do zagueiro Dedé, Thiago Neves desperdiçou uma oportunidade muito boa de abrir o placar.

O camisa 30 recebeu cruzamento rasteiro de Raniel, chutou de canhota, mas a bola subiu demais.

O Vasco chegou pela primeira vez aos 15 minutos da etapa inicial com o seu principal jogador: Yago Pikachu. O lateral, que tem jogado de meia, cobrou falta com muito perigo, na direção do ângulo esquerdo de Fábio, que fez uma defesa espetacular. A bola chegou a tocar no travessão.

Alvo do torcedor, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira sofreu quando Edílson caiu na área, derrubado por Desábato. O jogador cruzeirense pediu pênalti, a torcida também e, como nada foi marcado, todo mundo ficou na bronca.

Melhor em campo, a Raposa sofreu primeiro, em uma falha individual do lateral-esquerdo Egídio logo depois do lance polêmico envolvendo Edílson na área vascaína.

Andrey aproveitou bobeada e fez um belo gol, acertando o ângulo esquerdo de Fábio: 1 a 0.

Na saída para o intervalo, o ala celeste assumiu a culpa e se desculpou com os companheiros e torcedores. “A gente fica chateado. Temos que fazer o simples. Eu estava sozinho. Tentei dar com o lado do pé. A culpa, realmente, foi minha. Eu assumo. Agora é ter personalidade e jogar. O torcedor já gritou meu nome, me deu força”, disse à TV Globo.

No segundo tempo, a esperança do Cruzeiro reacendeu pelas jogadas do atacante Raniel. Aos 8 minutos, ele cruzou a bola na área do Vasco e, por um desvio no meio do caminho, o goleiro Fernando Miguel ficou “vendido” no lance e quase sofreu o gol.

Pressionado, o Vasco começou com um “cai-cai” em campo. O primeiro a desabar foi Wagner, que acabou saindo, substituído por Giovanni Augusto, velho conhecido dos mineiros, já que passou pelo Atlético.

Aos 15 minutos da etapa final, o gol que a torcida tanto esperou. Dedé foi ao ataque e tocou para Rafael Sóbis. O atacante deu ótimo passe para Raniel, que, com tranquilidade, mandou por cima de Fernando Miguel: 1 a 1.

A partir daí só deu Cruzeiro. E o Vasco seguiu com o “cai-cai” dos jogadores. A pressão era tanta que todos os atletas da equipe carioca se posicionavam no campo defensivo.

Aos 40 minutos, mais uma reclamação. Raniel tentou dominar na área e caiu ao disputar com o zagueiro Paulão, mas Luiz Flávio de Oliveira não viu penalidade. O Mineirão, uníssono, engrossou o xingamento ao dono do apito.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *